O Volkswagen Virtus é um sedan inédito da montadora alemã, que foi lançado no Brasil logo no começo de 2018, para atuar no segmento dos sedans compactos premium. Ele se posiciona acima do Voyage e abaixo do Jetta.

Esse modelo é diretamente derivado do Polo de sexta geração e, diferentemente do irmão hatch, ele foi totalmente desenvolvido no Brasil, com o objetivo de atender mercados emergentes.

Neste artigo, vamos falar sobre os detalhes desse modelo e os seus principais pontos fortes e fracos. 

Design 

Da extrema dianteira até a coluna B, o desenho do Virtus é exatamente o mesmo do Polo, em todos os detalhes.

Foram utilizados os mesmos componentes do hatch como faróis, para-choque, portas dianteiras, retrovisores, entre outras peças. Isso possibilitou a otimização da produção, além de ter facilitado a manutenção e a reposição de peças.

A partir da coluna B, toda a carroceria é exclusiva do Volkswagen Virtus: portas traseiras, coluna C, lanternas, para-choque e demais partes. 

A dianteira traz faróis horizontais com refletores duplos e acabamento em máscara negra, interligados pela grade de arrefecimento. O para-choque traz faróis de neblina trapezoidais com luzes diurnas integradas e frisos cromados, dependendo da versão.

De lado, chamam atenção os muitos vincos horizontais que marcam quase toda a extensão do sedan e as janelas são contornadas em preto fosco. 

Já na traseira, as lanternas horizontais invadem o porta-malas e marcam a divisão entre a parte superior da tampa e a inferior, responsável por abrigar a placa de identificação.

O para-choque é pronunciado para proteger a tampa do porta-malas e traz um aplique horizontal, que muda seu acabamento de acordo com a versão. 

Está pensando em comprar um Virtus usado?

Então consulte o histórico completo antes de negociar, para evitar problemas!

imagem de um botão laranja escrito: clique aqui e veja como é fácil consultar um veículo pela placa.

Mecânica 

O Volkswagen Virtus é construído sobre uma variante alongada da plataforma MQB A0, derivação mais barata da MQB tradicional.

Ele pode ser encontrado com três opções de motores flex e duas de transmissão, sendo o 1.6 aspirado da família MSI e os 1.0 e 1.4 turbinados da família TSI. Diferente do hatch, o sedan não traz nenhuma configuração com o motor 1.0 aspirado da linha MPI.

Falando de transmissões, a opção manual de cinco marchas é exclusiva do motor 1.6, enquanto a caixa automática convencional de seis marchas é utilizada nos motores TSI e na configuração mais cara do MSI. 

O 1.6 de quatro cilindros gera até 117 cv e 16,5 kgfm quando abastecido com etanol e é o único motor disponível na versão de entrada. Já o 1.0 TSI gera até 128 cv e 20,4 kgfm e equipa as versões intermediárias do sedan, denominadas Comfortline e Highline.

O 1.4 TSI, por sua vez, gera até 150 cv e 25,5 kgfm e é exclusividade da versão GTS, a top de linha e única esportiva do portfólio.

Enquanto a versão de entrada traz freios traseiros a tambor, todas as demais trazem discos nas quatro rodas e suspensão traseira por eixo de torção, configuração padrão no segmento. 

Interior 

Por dentro, com exceção do espaço maior devido ao entre-eixos alongado, o Volkswagen Virtus traz exatamente a mesma cabine do Polo, fazendo uso dos mesmos componentes e acabamentos.

Ele se diferencia apenas pelos equipamentos presentes e o tecido escolhido para os assentos, além dos apliques decorativos que variam de acordo com a versão escolhida e os opcionais adquiridos. 

O cluster de instrumentos pode ser analógico, composto por quatro mostradores e uma pequena tela multifunção ao centro, ou digital feito por um display de 10,25” que concentra todas as informações.

A moldura do painel principal pode vir em quatro acabamentos diferentes, dependendo da versão, enquanto os bancos são de tecido por padrão e podem receber couro como opcional. 

Da mesma forma, os apliques decorativos podem vir em preto fosco, preto brilhante ou prateado imitando alumínio, além do vermelho que é exclusivo da versão esportiva GTS – que também é a única a trazer bancos dianteiros do tipo concha e encosto de cabeça integrado, sem regulagem de altura. 

Confira a avaliação dos principais concorrentes do Volkswagen Virtus:

Tecnologia 

Vendido em quatro versões, o Virtus traz uma lista de equipamentos bastante modesta na configuração mais barata, mas consegue oferecer boas doses de tecnologia nas versões mais caras.

No ato do lançamento, a versão de entrada trazia itens como:

  • Rádio com bluetooth;
  • Quatro airbags;
  • Ar-condicionado;
  • Vidros elétricos nas quatro portas;
  • Direção elétrica;
  • Retrovisores com ajuste manual;
  • Rodas de 15 polegadas com calotas.

Recursos como sensores de ré e controle de estabilidade eram oferecidos como opcionais. 

Já a variante Highline, antiga topo de linha, conta com:

  • Sensores dianteiros e traseiros de estacionamento;
  • Câmera de ré;
  • Sensores crepuscular e de chuva;
  • Rodas de liga leve aro 16;
  • Ar-condicionado digital;
  • Chave presencial com partida por botão;
  • Luzes diurnas em LED.

Itens como o painel de instrumentos 100% digital, rodas aro 17 e central multimídia com GPS nativo e espelhamento no painel eram opcionais que, com o tempo, passaram a vir de série.

Por fim, o esportivo GTS traz visual exclusivo da versão e faróis Full LED adaptativos. 

Principais pontos fortes 

Espaço

Com 2,65 m de entre-eixos e 521 l de porta-malas, o Virtus esbanja espaço para todos os passageiros e suas respectivas bagagens, se mostrando o sedan compacto mais espaçoso do mercado brasileiro. 

Versão GTS

A versão esportiva GTS representa um sopro de alívio em um mercado tão carente de opções divertidas, que são inspiradas em carros comuns, e equipadas com conjuntos mecânicos mais fortes, que não se encontram nas versões tradicionais.

O Virtus é o único modelo do segmento a oferecer algo assim. 

Tecnologia

Mesmo optando pela versão intermediária Comfortline, o Virtus já entrega um bom pacote de recursos que garante uma vida bem mais interessante com ele.

Se acrescentar os opcionais ou se encontrar um modelo equipado com tudo, terá um carro que dificilmente lhe fará sentir falta de algum recurso de conforto ou comodidade. 

Principais pontos fracos 

Acabamento

A cabine dos VW modernos tem se mostrado um ponto fraco comum de vários modelos, principalmente por causa do acabamento que abusa do plástico rígido.

No Virtus não é diferente. Alguns proprietários chegam a reclamar do excesso de ruídos internos. 

Mercado de usados

Por ser um sedan tão espaçoso, muitos o utilizaram para fazer serviços de transporte profissional – táxis, aplicativos, entre outros.

Isso significa que é fácil achar um exemplar que foi muito rodado e que, por conta disso, pode ter sofrido adulteração na quilometragem para não afastar possíveis clientes.

Esteja atento aos sinais que possam entregar esse uso intenso e, é claro, não esqueça de utilizar nossa ferramenta de consulta antes de fechar negócio

Preço

O Volkswagen Virtus é um dos modelos mais caros da sua categoria, mesmo entre os exemplares usados.

Se você não precisa de tanto espaço interno, pode encontrar outros sedans mais baratos e que entregam quase todas as mesmas qualidades do modelo alemão. 

Saiba mais sobre o VW Virtus neste vídeo:

Histórico de versões 

2018/2018 – MSI, Comfortline e Highline – Modelo de lançamento. 

2018/2019 – MSI, Comfortline e Highline – Linha 2019. 

2019/2020 – Sense, MSI, Comfortline, Highline e GTS – Linha 2020. 

Reposicionamentos

  • Acréscimo das versões Sense e GTS.

Novidades – Versão MSI

  • Controles de tração e estabilidade.

Versão Highline

  • Itens do pacote Tech High passam a ser de série;
  • Rodas aro 17.

2020/2021 – MSI, Comfortline, Highline e GTS – Linha 2021.

Reposicionamentos 

  • Retirada da versão Sense.

Novidades – A partir da versão Highline.

  • Rebatimento elétrico dos retrovisores.

2021/2022 – MSI, Comfortline, Highline e GTS – Linha 2022.

Outros concorrentes diretos 

Hyundai HB20S 

Chevrolet Onix Plus 

Toyota Yaris Sedan