Logotipo Olho no Carro

Muito se fala em perda total do veículo, mas você sabe como os sinistros são classificados e quando é considerada uma perda total? Leia este texto e descubra!

Saiba agora mesmo se um veículo tem sinistro, só pela placa!

Primeiramente, o que é sinistro?

Um sinistro é qualquer evento que danifique a estrutura de um veículo. Esses eventos podem estar relacionados a causas naturais, como enchentes, a acidentes de trânsito ou danos causados por terceiros, como em tentativas de roubo e furto.

Leia também: Laudo cautelar e consulta veicular são a mesma coisa?

Os sinistros são classificados em montas. Que, basicamente, mostram qual é a gravidade do dano causado ao veículo em questão:

Pequena monta

Nesse caso, o veículo é recuperado facilmente e pode voltar a circular sem a exigência de uma vistoria ou inspeção veicular

Um exemplo são as colisões frontais que danificam o farol. Como não há comprometimento significativo da estrutura do veículo, o dano é considerado de baixo risco.

Média monta

Quando o sinistro é considerado de média monta, fica subentendido que houve um dano significativo na sua estrutura, que pode ocasionar em um mau funcionamento. 

Então, nesse caso, há a necessidade de fazer uma vistoria ou inspeção antes do veículo voltar a circular. Se o veículo for aprovado, ele recebe o Certificado de Segurança Veicular (CSV),

Grande monta

Os sinistros de grande monta são aqueles que danificam a estrutura do veículo a ponto dele ser considerado irrecuperável. Nesse caso, o único destino possível para o automóvel é ser usado como sucata ou destinado para leilão.

Além dessas classificações, existe a tão falada perda total do veículo:

Levando em consideração a classificação de montas, a perda total do veículo é considerada um sinistro de grande monta. Mas, para que seja considerada a perda total, além da estrutura estar totalmente danificada, o dano deve representar 70% do valor de tabela do carro.

O valor considerado é o encontrado na Tabela FIPE, que é um preço médio de todos os veículos de um mesmo modelo que são vendidos no mercado brasileiro.

Leia também: Como consultar o preço médio de um veículo na Tabela FIPE?

Como os agentes de trânsito chegam a essas classificações?

Para classificar o sinistro de um veículo, os agentes de trânsito utilizam um esquema de pontos que consta em um formulário específico para esse fim. A cada peça danificada, o veículo ganha uma pontuação, de acordo com parâmetros pré-estabelecidos.

Normalmente, a pontuação para a classificação das montas é a seguinte:

Para carros, caminhões, utilitários, entre outros:

  • Pequena monta, entre 0 e 20 pontos;
  • Média monta, entre 21 e 30 pontos;
  • Grande monta, acima de 30 pontos.

Para motocicletas:

  • Pequena monta, entre 0 e 16 pontos;
  • Média monta, acima de 16 pontos;
  • Grande monta, quando houver danos em dois ou mais componentes estruturais, independentemente da pontuação.

Como consultar o sinistro de veículo pela placa?

Os carros sinistrados sofrem uma perda de até 30% no seu valor de mercado, de acordo com a gravidade dos danos estruturais.

Sendo assim, fazer a consulta de sinistro antes de comprar, te ajuda a negociar melhor e decidir se vale a pena investir na compra de um veículo desse tipo.

A forma mais fácil de consultar o sinistro de veículo é pelo site da Olho no Carro.

Para fazer a consulta, você só precisa saber o número da placa e, além das informações sobre batida integral, você terá acesso ao histórico do carro ou da moto que você consultou. São informações sobre:

  • Passagem por leilão
  • Histórico de roubo e furto
  • Débitos e multas
  • Restrições e impedimentos
  • Informações FIPE
  • Notificação de recall
  • Custo das peças originais
  • Ficha técnica

E muito mais!

São todas as informações que você precisa para garantir a melhor compra e evitar problemas.

Quer consultar o histórico completo do veículo usado e comprar tranquilo?

Os carros com indício de sinistro são mais baratos, mas vale a pena comprá-los?

Comprar veículos sinistrados pode ser arriscado, desde que você não saiba qual tipo de dano o automóvel tem. Muitas vezes, o custo de reparação do veículo não compensa o valor menor da oferta. 

Por isso, o ideal é que, antes de comprar, você faça uma avaliação do veículo com a ajuda de mecânicos da sua confiança. Assim você pode ter uma ideia dos custos que você teria após a compra.

Leia também: Como a consulta veicular te ajuda a escolher o melhor carro para comprar?