Logotipo Olho no Carro

O Nissan Kicks estreou no Brasil em 2016, em versão única, mas recebeu algumas variantes com o passar do tempo. Inicialmente, o SUV compacto era importado do México, mas começou a ser produzido no Brasil já para a linha 2018, na fábrica de Resende, no Rio de Janeiro.  

Esse modelo é alvo da nossa avaliação em parceria com o canal Volta Rápida. Confira os detalhes do Nissan Kicks, além dos seus principais pontos fortes e fracos.

Vai comprar um SUV usado?

Antes de fechar negócio, consulte o histórico do veículo e fique livre de futuros problemas!

Design

As linhas inusitadas e bem resolvidas do Nissan Kicks caíram rapidamente nas graças do público. Boa parte delas vieram do Kicks Concept, um protótipo inicial apresentado em 2014, no Salão Internacional do Automóvel de São Paulo, que antecipou seu design geral.

O sucesso foi tanto, que o modelo de produção recebeu poucas alterações diante do conceito. Todo o esforço criativo foi dirigido pelo time de design da marca no Japão, mas com a participação de designers brasileiros no então novo estúdio satélite de design da Nissan, localizado na cidade do Rio de Janeiro.

Na dianteira, os faróis horizontais se dividem em dois refletores de fachos separados e se ligam pela grade “V-Motion”, principal elemento da atual identidade visual da marca, posicionada logo acima da porção inferior em preto fosco, que abriga os faróis de neblina em forma de paralelogramo.

De lado, chamam atenção as colunas em preto fosco e o teto estilo flutuante que, dependendo da versão, pode ser pintado em uma cor diferente da carroceria.

Já na traseira, as lanternas pontiagudas se dividem pela tampa do porta-malas, que traz a parte de baixo em formato hexagonal, abrigando a placa de identificação. O para-choque é em preto fosco com uma pequena parte na cor da carroceria.

Mecânica

Montado sobre a plataforma V, compartilhada com a atual geração do Versa (que também já testamos há alguns meses), o Nissan Kicks brasileiro conta com uma única opção de motor, desde seu lançamento até os dias de hoje.

Trata-se do conhecido motor 1.6 aspirado flex de quatro cilindros em linha, capaz de gerar até 114 cv de potência e 15,5 kgfm de torque quando abastecido com etanol.

Inicialmente, ele só podia ser comprado com a transmissão automática do tipo CVT, conhecida popularmente pelo nome X-Tronic, mas uma caixa manual de cinco marchas foi introduzida como opção para a versão de entrada posteriormente.

No mais, o Kicks repete a fórmula dos seus rivais baratos, como suspensão traseira por eixo de torção e freios a disco somente nas rodas dianteiras.

Confira as avaliações de alguns dos principais concorrentes do Nissan Kicks:

Interior

De modo geral, a cabine do Nissan Kicks é bonita e bem montada, mas a sensação de qualidade mediante o preço do carro se altera drasticamente conforme a versão escolhida.

Nas configurações mais baratas, por exemplo, o SUV traz um cluster de instrumentos convencional com dois marcadores analógicos e uma pequena tela multifuncional ao centro.

Isso também vale para o painel, que traz na peça que emoldura o rádio ao centro, um aplique plástico de superfície diferente do restante das partes pretas.

Já nas versões mais caras, o cluster de instrumentos passa a ser semi-digital, composto por uma tela repleta de funções à esquerda que se integra ao conta-giros analógico à direita.

O painel, por sua vez, traz uma inserção em couro na mesma tonalidade dos bancos que, dependendo da cor externa, permitem ao cliente escolher outras cores além do preto: marrom, cinza ou bege.

Tecnologia

O Kicks nunca foi o carro mais equipado da categoria, mas a Nissan se deu ao luxo de trazer itens que ainda são exclusivos dele ou raríssimos no segmento até os dias de hoje.

Em seu lançamento o modelo já surpreendeu ao ter um sistema de câmeras 360º, que exibe uma vista superior do veículo ao estacionar, como se estivesse sendo monitorado por satélite. Uma valiosa ajuda para evitar os obstáculos nas manobras.

Outro item exclusivo do modelo é o ‘Estabilizador Ativo de Carroceria’ e o ‘Controle Dinâmico em Curvas’, ambos responsáveis por manter o carro nos eixos diante de possíveis excessos do motorista ou defeitos no asfalto.

Com o tempo, a lista de equipamentos do Kicks melhorou, passando a oferecer equipamentos como:
  • Faróis em LED com luzes diurnas e assistente de farol alto automático;
  • Sistema de frenagem autônoma de emergência;
  • Alerta de mudança indevida de faixa e de tráfego traseiro;
  • Monitoramento de pontos cegos;
  • Sistema de som premium da Bose, com alto-falantes no encosto de cabeça do motorista.
Quer saber ainda mais sobre o Nissan Kicks? Assista ao vídeo abaixo!

Principais pontos fortes

Design:

Se você acha todos os carros muito parecidos entre si, o Kicks pode ser uma ótima opção. O seu design deixa claro que é um Nissan, mas não traz muita semelhança com mais nada do que vemos nas ruas atualmente, nem mesmo entre os próprios carros da marca.

É uma boa dose de personalidade própria que está cada vez mais difícil de se encontrar.

Economia:

Muitos não sabem ou não acreditam, mas o Kicks pesa praticamente o mesmo que um hatch compacto padrão, o que o ajuda a ser um modelo extremamente econômico, algo mais do que bem-vindo em tempos de alta no preço dos combustíveis.

Custo-benefício:

Apesar de disputar no primeiro escalão dos SUVs compactos, o Kicks não está entre os mais caros do segmento, se mostrando uma compra equilibrada e com forte potencial de agradar a todo tipo de consumidor.

Principais pontos fracos

Desempenho:

Enquanto o 1.6 aspirado, que veio da dupla March/Versa, consegue ser bem econômico, ele acaba desapontando quando se fala de desempenho.

Não é um problema para quem costuma andar sozinho, mas quem precisa andar com o carro cheio sentirá a falta de força, principalmente nas rotações mais baixas.

Diante dos modernos 1.0 turbo dos rivais, o Kicks fica nitidamente para trás.

Espaço interno:

Apesar das medidas do Kicks serem boas, o espaço interno não é tão bem aproveitado quanto deveria.

Levar quatro adultos, dependendo da estatura deles, será um desafio apertado – literalmente.

Conforto:

O Nissan Kicks é um típico carro japonês, tanto nas coisas boas quanto nas ruins.

Uma das ruins é a falta de desenvoltura em asfaltos que não são da melhor qualidade, onde o SUV compacto não passa com tanta suavidade e deixa o passeio incômodo.

Evite-o se costuma pegar estradas ruins!

Histórico de versões

2016/2017 – SV, SV Limited, SL e Rio – linha 2017 – Modelo de lançamento.
2017/2018 – S, SV e SL – Linha 2018.

Reposicionamentos:

  • Acréscimo da versão S
  • Retirada das edições limitadas SV Limited e Rio.
2018/2019 – S, SV e SL – Linha 2019.

Novidades:

  • Central multimídia com espelhamento para smartphones Android e iOS.
2019/2020 – S, SV e SL – Linha 2020

Novidades:

  • Piloto automático (exceto S com câmbio manual).

Versão S:

  • Controles de tração e estabilidade;
  • Espelhamento para smartphones;
  • Faróis com luzes de posição em LED.

Versão SV:

  • Seis airbags.

Versão SL:

  • Faróis com projetor de LED para luz baixa;
  • Apoio de braço dianteiro.
2020/2021 – S, SV e SL – Linha 2021.
2021/2022 – Sense, Advance e Exclusive – Linha 2022, primeiro facelift.

Reposicionamentos:

  • Retirada das versões S, SV e SL;
  • Acréscimo das versões Sense, Advance e Exclusive.

Novidades:

  • Novos para-choques dianteiro e traseiro;
  • Novo conjunto ótico.

Outros concorrentes diretos

Volkswagen T-Cross

Chevrolet Tracker

Renault Captur

Renault Duster

Citroën C4 Cactus

Peugeot 2008

Volkswagen Nivus