Logotipo Olho no Carro

O mundo das motos também conta com uma grande quantidade de fãs apaixonados e diversos tipos de modelos, para uma variedade de atividades e utilidades. Mas, afinal, como funcionam as motos potentes?

Neste texto, você poderá saber muito mais sobre essas máquinas que impressionam quando passam nas ruas.

Vai comprar uma moto usada?

Ao consultar o histórico da moto antes de comprar, você pode descobrir uma série de informações que te livram de muita dor de cabeça!

Como funciona a potência de uma moto?

A potência de uma moto é, geralmente, medida por cv (cavalo-vapor). Essa unidade de potência define a força que o motor do veículo pode fazer para queimar o combustível e transformar em movimento e, consequentemente, em velocidade.

As motos mais básicas têm, em média, 6 cv de potência e atingem velocidades relativamente baixas, o suficiente para rodar em áreas urbanas.

Já as motos potentes, contam com 200 ou até 300 cv de potência e, com isso, podem chegar a velocidades próximas de 400 km/h.

O que é um cilindro? E as cilindradas?

O cilindro é o local em que o pistão se desloca, onde a energia da queima do combustível é convertida em movimento. Quanto maiores as dimensões dos cilindros, mais potente pode ser o motor.

Já a cilindrada é o volume de um cilindro. Vamos pegar como exemplo o caso da Honda Biz 125: ela tem 124,9 cc e um motor monocilíndrico. Ou seja, o único cilindro do motor dessa moto tem espaço de 124,99 cm³ para que a combustão aconteça.

O que é torque?

Torque é a unidade de grandeza relacionada à força de produzir rotação. Aplicando isso ao tema central do texto, é a força que faz a moto responder ao comando de andar.

Isso significa que, quanto maior o torque, maior a resposta do veículo, e mais rápido ele vai responder ao acelerador.

Estes textos podem te interessar:

Veja agora o Top 5 das motos potentes vendidas no Brasil!

Agora chegou o momento de saber quais são as cinco motos mais potentes vendidas no Brasil e suas principais características. Confira!

1 – Ducati Panigale V4 S

Potência: 217 cv

Preço: R$ 162.990,00

Foto da Ducati Panigale V4 S na cor vermelha, a campeã entre as motos potentes.
Imagem retirada de banco de dados público digital

Conhecida como a “Ferrari das motos” a Ducati Panigale V4 S tem 217 cv de potência, podendo atingir a casa dos 300 km/h, misturando o desempenho das motos de corrida, mas voltado ao uso em estradas. Seu torque é de 12,4 kgfm, maior que o de muitos carros básicos que são muito mais pesados.  

A Ducati Panigale V4 S tem outras características presentes em veículos da MotoGP como, por exemplo:

O motor é derivado das motocicletas que competem na categoria, com virabrequim contra-rotativo. Além disso, há uma melhor integração do motor com o chassi, otimizando a distribuição do peso, algo fundamental para a estabilidade.

Curiosidades sobre a Ducati:

  • Criada em 1926, a empresa começou produzindo tubos de vácuo, condensadores e outros componentes de rádio;
  • Apesar de comparada com a Ferrari, a Ducati é propriedade direta da Lamborghini, que faz parte do Grupo Volkswagen (via Audi);
  • A Ducati tem três títulos de construtores na principal classe da MotoGP (2007, 2020 e 2021).

2 – Honda CBR 1000RR-R Fireblade SP

Potência: 216,2 cv

Preço: R$ 160.590,00

Foto da Honda CBR 1000RR-R Fireblade, nas cores vermelha, azul e branca.
Imagem retirada de banco de dados público digital

A segunda moto mais potente vendida em solo nacional, é a Honda CBR 1000RR-R Fireblade, com apenas 0,8 cv a menos do que a Ducati Panigale. Ela entrega 11,5 kgfm de torque e um desempenho de competição.

E por falar em competição, esse é um dos modelos utilizados no Campeonato Mundial de Superbike (que conta com motos de produção melhoradas para o evento).

A CBR 1000RR-R Fireblade tem desempenho e controle sem precedentes para um modelo totalmente de rua. Por isso, ela tem foco absoluto nos praticantes do motocilismo.

Curiosidades sobre a Honda:

  • A Honda tem um forte envolvimento com competições de veículos e já participou de campeonatos como: MotoGP, Campeonato Mundial de Superbike, Fóruma 1, Fórmula Indy e muito mais;
  • A Honda é a maior fabricante de motos no mundo desde 1959;

3 – Kawasaki Ninja ZX-10R KRT Edition

Potência: 213 cv

Preço: R$ 115.190,00

Na imagem, um piloto dirige uma Kawasaki Ninja ZX-10R KRT Edition, nas cores verde e preta.
Imagem retirada de banco de dados público digital

Quem ocupa o terceiro lugar da nossa lista é a Kawasaki Ninja ZX-10R KRT Edition, com seus 213 cv de potência e 11,7 kgfm e incríveis 998 cc, em um motor de quatro cilindros.

Esse modelo conta com um sistema de gerenciamento de motor, que dá a possibilidade até mesmo do condutor gerenciar o combustível.

E claro, com um desempenho esportivo, a moto tinha que contar com controle de largada, para quem curte competir em circuitos.

Curiosidades sobre a Kawasaki:

  • A Kawasaki tem nove títulos de construtores na MotoGP, mas nenhum na classe principal;
  • A empresa japonesa também fabrica equipamentos aeroespaciais, trens, navios, motores e equpamento industrial.

4 –  Ducati Streetfighter V4 S

Potência: 208 cv

Preço: R$ 146.990,00

Foto feita em estúdio da Ducati Streetfighter V4 S na cor vermelha.
Imagem retirada de banco de dados público digital

Outra Ducati aparece na nossa lista. E dessa vez é a Streetfighter V4 S, que tem algumas semelhanças com a Panigale, mas um design diferenciado, sem carenagens laterais.

O modelo conta ainda com um guidão mais alto e largo, pesa 178 kg e é equipado com um motor de 1100 cc e 208 cv de potência. A moto ainda tem um tecnológico pacote eletrônico, que ajuda na pilotagem.

5 – BMW S 1000 RR

Potência: 207 cv

Preço: R$ 120.500,00

Foto da BMW S 1000 RR, na cor predominantemente cinza, estacionada.
Imagem retirada de banco de dados público digital

Lançada em 2009, a BMW S 1000 RR passa por uma constante evolução ano a ano. Ela aparece na quinta colocação da nossa lista, graças aos seus 207 cv de potência. O modelo tem motor de quatro ciclindros de 999 cc.

Com toda essa potência, a moto vai bem tanto na estrada, como em circuitos, para a galera que gosta de competir.

O novo chassi da BMW S 1000 RR causou uma redução de quase 50% do peso do veículo, facilitando a estabilidade na hora da condução.

Curiosidades sobre a BMW:

  • Fundada em 1916, a BMW começou sua história fabricando motores de aeronaves;
  • A divisão responsável pela fabricação das motos da marca é a BMW Motorrad.