Logotipo Olho no Carro

Está querendo comprar uma moto barata e, por isso, pensou em comprar em um leilão? Então veja aqui se moto de leilão vale a pena e como comprar com segurança! 

Consulte agora o histórico do veículo de leilão e garanta a melhor compra: 

Se você está pensando em comprar uma moto usada, mesmo que não seja de leilão, é melhor consultar o histórico completo antes de fechar o negócio! 

Esse tipo de moto pode ter problemas que, além de desvalorizarem o seu valor de mercado, dificultam a transferência e o licenciamento. 

Como funciona o leilão de motos? 

Normalmente, as motos vão a leilão por um destes motivos: 

1 – Dívidas dos proprietários: na maioria das vezes, essas dívidas estão relacionadas a contratos de financiamento. Quando um veículo é financiado, ele fica em propriedade do banco ou instituição financeira até que todas as parcelas sejam pagas. Sendo assim, caso haja inadimplência, o banco pode recuperar o veículo e vendê-lo em leilão. 

2 – Sinistros com indenização integral: nesse caso, o valor de recuperação do veículo sinistrado é maior do que o valor de indenização prevista na apólice do seguro. Então, a seguradora, para não ter tanto prejuízo financeiro, opta por pagar a indenização integral para o proprietário e vende o veículo em um leilão. 

Leia também: Quais são os tipos de leilão veicular? 

Veja algumas dicas de como comprar moto de leilão com segurança: 

1 – Saiba se a leiloeira é credenciada 

A primeira coisa que você deve fazer é verificar se a leiloeira é credenciada. Existem muitos leilões clandestinos por aí e, caso você compre uma moto nesse tipo de leilão, pode ter problemas no processo de regularização. 

Você pode fazer essa verificação pelo portal do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Nesse site, é possível baixar a planilha completa das leiloeiras de todos os estados do Brasil e de acordo com cada tipo de leilão. 

Clique aqui para baixar a planilha! 

2 – Leia atentamente o edital 

O edital é um documento que contém as informações relacionadas aos lotes de veículos que serão leiloados. Por meio desse documento, é possível saber se o veículo tem alguma avaria, quais são as condições de uso, se ele é conservado ou sucata, entre outras informações cadastrais. 

Se a leiloeira não tiver um edital, desconfie! Esse é um primeiro indício de que o leilão não é legalizado. 

3 – Avalie a moto pessoalmente 

Essa dica serve para a compra de qualquer tipo de veículo usado! Ao avaliar a moto pessoalmente, você pode ter uma noção melhor das condições de uso e assim fica mais fácil decidir se vale a pena investir na compra. 

Nos leilões não é permitido fazer Test Drive, então vale a pena chamar um mecânico da sua confiança para te ajudar a avaliar a moto do seu interesse. 

4 – Consulte o histórico 

Os veículos de leilão perdem cerca de 30% do seu valor de mercado, mesmo que estejam em boas condições de uso! 

Uma boa forma de verificar se a moto tem algum problema no histórico é por meio da consulta veicular completa da Olho no Carro.  

Basta saber o número da placa para ter acesso a informações sobre: 

  • Batidas; 
  • Roubo e furto; 
  • Débitos e restrições; 
  • Dados cadastrais; 
  • Gravame

E muito mais! 

Vale a pena comprar moto de leilão? Por que elas são tão baratas? 

Isso depende da origem da moto e das condições de uso! 

As motos de leilão são mais baratas porque sofrem uma desvalorização de até 30% no seu valor de tabela. O principal fator que influencia nessa desvalorização é a dificuldade na hora da revenda. Muitos compradores têm preconceito com os veículos de leilão por acharem que eles têm alguma avaria ou problema mecânico. 

As melhores opções de motos de leilão são as de recuperações financeiras. Nesse caso, provavelmente, as motos não foram batidas e estão em boas condições de uso, o que pode te dar uma margem de lucro interessante na hora de revender. 

Isso não quer dizer que as motos que são de leilões de seguradoras são um mau negócio, tudo depende das avarias e do custo de recuperação. 

Na hora de calcular o valor do seu lance, você deve levar em consideração os custos de recuperação, regularização e as taxas do leilão! 

Para fazer um bom negócio com a compra de uma moto de leilão, é importante que você avalie muito bem todos os custos que terá após a compra. 

Você precisará pagar uma taxa de 5% sobre o valor do seu lance, além de taxas administrativas, que são definidas pela própria leiloeira. 

Além disso, você terá que arcar com todos os consertos necessários para o bom funcionamento do veículo e com a emissão de novos documentos, como CRV e CRLV.  

O IPVA do ano em que a moto foi comprada também deverá ser pago por você, além das multas que estiverem pendentes. 

Leia também: Qual é o valor do IPVA 2021? Veja aqui! 

Esse tipo de moto pode circular normalmente? 

Sim! Desde que estejam devidamente regularizadas, as motos de leilão podem circular normalmente por vias públicas e privadas. 

Veja como regularizar a sua moto comprada em leilão: 

O primeiro passo é ir até o Detran com os seus documentos pessoais e a nota de arrematação do leilão. 

A partir disso, começará o processo de regularização da sua moto, que levará cerca de 90 dias. 

É importante lembrar que você tem até 30 dias após a compra para regularizar a situação do veículo no Detran. Caso esse prazo não seja cumprido, você terá que pagar uma multa e levará 3 pontos na sua CNH. 

Importante: como cada Detran tem o seu próprio padrão de atendimento, o passo a passo para fazer a regularização da sua moto pode mudar. Para ter informações mais precisas sobre os procedimentos, acesse o site do Detran do seu estado!