Logotipo Olho no Carro

Veja a avaliação completa que nós fizemos sobre o Fiat Pulse Drive e conheça os principais pontos fortes e fracos desse modelo!

O Fiat Pulse é um inédito SUV compacto da fabricante italiana, que está no mercado automotivo com algumas variações para atingir diversos tipos de clientes.

Esse modelo já passou pela nossa avaliação em parceria com o canal Volta Rápida, na versão Impetus, mais completa. Mas hoje é o momento de conhecer o Fiat Pulse Drive, a versão mais barata desse carro.

O hábito das marcas de carros desenvolverem uma grande quantidade de variações de um modelo de veículo é algo muito antigo.

Cada um chega com uma proposta bem definida e, geralmente, a intenção é atrair novos clientes ou estimular os atuais a fazer um upgrade para um produto mais sofisticado.

A versão de entrada do SUV da Fiat conta com três configurações:

O Fiat Pulse Drive está disponível em três configurações, com duas opções de motor e transmissão.

A mais barata utiliza o conhecido motor 1.3 aspirado aliado a uma caixa manual de cinco marchas, transformando o modelo em um dos pouquíssimos SUVs compactos do Brasil que ainda oferecem esse tipo de transmissão.

E a mais cara conta com o novo 1.0 turbo que equipa as versões Audace e Impetus, trabalhando unicamente com a nova transmissão automática do tipo CVT.

Foto do capô aberto mostrando o motor do Fiat Pulse Drive.
A configuração intermediária do Fiat Pulse Drive, que recebe a nossa avaliação, é equipada com o motor 1.3 aspirado e a transmissão automática.

A transmissão automática veio para substituir a malfadada Dualogic/GSR e é inédita nos modelos da Fiat, mas já é conhecida do brasileiro por equipar carros como o Toyota Yaris.

O trabalho em conjunto desse tipo de câmbio com o motor 1.3 já está presente na picape Strada nas versões Volcano e Ranch, mas também chegará ao Argo e Cronos ainda em 2022.

Você também pode se interessar pelas avaliações de alguns concorrentes do Fiat Pulse Drive:

A potência do Fiat Pulse Drive não impressiona, mas o motor tem um bom desempenho!

O motor da versão avaliada do Fiat Pulse Drive é o conhecido 1.3 flex da família Firefly, com aspiração natural e quatro cilindros. Ele gera até 107 cv de potência e 13,7 kgfm torque máximo, quando é abastecido com etanol.

Esse propulsor passou por algumas mudanças para se adequar às novas normas de emissões do Proconve, o que reduziu a potência e torque máximos em 2 cv e 0,4 kgfm.

Esses números não são empolgantes, mas os 1.187 kg do Pulse, nessa configuração, ajudam a aliviar o trabalho do bloco aspirado, embora o SUV pudesse ser ainda mais leve dado o seu pequeno porte.

Já a transmissão é fabricada pela japonesa Aisin, mesma empresa responsável pela caixa automática convencional de seis marchas que equipa os carros mais caros da Stellantis no Brasil. Ela fez sua estreia no Pulse para se estender aos outros modelos da Fiat com o passar do tempo.

São sete marchas no modo manual, com possibilidade de trocas na alavanca, além do modo Sport que mantém o giro do motor mais elevado por padrão, melhorando as acelerações e respostas do carro.

Apesar de ser a versão mais barata, o Fiat Pulse Drive é equipado com diversos itens:

Foto da central multimídia do Fiat Pulse Drive.

O mais interessante da versão Drive do Fiat Pulse é que, apesar de ser uma variante de entrada, sua lista de equipamentos contempla alguns recursos presentes no modelo top de linha e que estão ausentes até mesmo de rivais diretos mais caros.

Entre os itens de série, o Pulse Drive traz:
  • Faróis Full LED com luzes diurnas integradas;
  • Ar-condicionado digital automático;
  • Central multimídia com tela de 8,4” e espelhamento sem fio para smartphones;
  • Rodas de liga leve aro 16;
  • Computador de bordo multifuncional;
  • Bancos em tecido;
  • Sensores traseiros de estacionamento;
  • Banco do motorista e volante com ajuste de altura;
  • Quatro airbags;
  • Controles de tração e estabilidade.
A Fiat oferece três pacotes opcionais. O primeiro deles é o Connect Me (R$ 3.658) que engloba:
  • Serviços online;
  • Navegação GPS;
  • Retrovisor interno fotocrômico.
Também há o pacote Plus (R$ 4.228) que traz:
  • Teto externo na cor preta;
  • Chave presencial com partida por botão e partida remota;
  • Câmera de ré;
  • Carregador de smartphones por indução.
Por fim, o pacote Multimídia (R$ 983) que conta com:
  • Central com tela maior, de 10,1 polegadas;
  • Recursos da central original da versão e navegação via GPS.

A marca também cobra a mais por qualquer cor que não seja o ‘Preto Vulcano’. A unidade que avaliamos, por exemplo, é da cor ‘Vermelho Montecarlo’. Essa pintura custa R$ 983.

O Pulse Drive é confortável de dirigir e muito econômico!

Foto do volante e do painel do SUV compacto da Fiat.

Rodamos cerca de 400 km ao volante do Pulse Drive 1.3 e a melhor parte desse contato, sem dúvidas, foi presenciar o comportamento mais calmo do motor aspirado.

O 1.3 é bem mais amigável e gostoso de dirigir no uso diário, diferente do 1.0 turbo, que é um tanto ‘nervoso’ no dia a dia, parecendo que o carro está o tempo inteiro no modo Sport.

Com seu torque máximo se manifestando apenas a altos 4.000 rpm, o pequeno motor Firefly precisa ser literalmente esticado mediante qualquer situação que demande mais força.

Mas o bom trabalho da transmissão torna a tarefa menos incômoda do que seria esperado de um CVT.

No uso cotidiano, o motor mal passa dos 1.500 rpm, mostrando a predileção do câmbio pelos trajetos urbanos, mas basta o motorista pisar com mais força ou apertar o botão Sport no volante para rapidamente mudar esse cenário.

A propósito, essa é a prática mais indicada, uma vez que as trocas manuais na alavanca se mostraram irritantemente lentas.

Com tanta ‘calmaria’, a dupla de motor e caixa também consegue médias excelentes de consumo de combustível no Fiat Pulse Drive.

Rodando apenas com gasolina em percurso misto, nossa média geral foi de 17,2 km/l e teria sido ainda melhor se a ocasião do teste não nos obrigasse a colocar o carro em condições de maior velocidade e peso a bordo.

Dependendo do seu uso, sendo mais rodoviário e com poucos passageiros a bordo, o Pulse Drive 1.3 consegue ser extremamente econômico.

Além do consumo de combustível, o que também agrada no Pulse Drive é o conforto ao rodar.

As rodas aro 16 usam pneus 195/60, mais finos e mais altos que os 205/50 dos aros 17 da versão Impetus.

Isso permite ao Pulse Drive encarar melhor os eternos defeitos do asfalto brasileiro, mas afeta o comportamento dinâmico. Não chega a incomodar em curvas, mas não tem a desenvoltura e firmeza do Volkswagen Nivus, por exemplo.

Apesar de algumas ressalvas, o Fiat Pulse Drive chama atenção por suas qualidades!

Não dá para sentir falta de muita coisa na versão Drive. Com exceção do tecido, os bancos são os mesmos das demais versões e continuam acomodando com decência, assim como as luzes internas de cortesia em LED e demais recursos.

Foto dos bancos dianteiros do Fiat Pulse Drive.

O que realmente faz falta é o ajuste de altura do facho dos faróis e as saídas traseiras de ar-condicionado, mas a Fiat ainda tem tempo de corrigir isso com a futura linha 2023 que chegará ainda esse ano.

Já o acabamento interno é um dos grandes pontos fracos do Pulse.

As portas são inteiramente em plástico, sem qualquer porção mínima de tecido, e alguns detalhes do restante da cabine que são prateados nas versões mais caras, aqui são pretos, reforçando a sensação de ‘configuração de entrada’ que não combina com os mais de R$ 100 mil pedidos pela tabela.

A segurança é uma incógnita, mas o Pulse precisa se sair melhor do que o Argo (modelo que o originou, vale lembrar) e suas zero estrelas na última bateria de testes de colisão realizada pelo Latin NCAP.

No final das contas, o Fiat Pulse Drive com câmbio automático mostrou porque tem sido uma das versões prediletas do público.

A boa lista de equipamentos aliada ao baixo consumo e ao conforto no uso diário são fortes argumentos que têm conquistado o público e que já colocaram o novato entre os mais vendidos da categoria.

Nenhum dos pontos fracos até agora se mostrou necessariamente grave a ponto de a compra não ser recomendada, embora, todos eles mereçam atenção por parte da Fiat.

Saiba mais sobre o Fiat Pulse Drive! Assista ao vídeo abaixo preparado pelo Canal Volta Rápida:

Outros concorrentes diretos do Fiat Pulse Drive

Volkswagen Nivus

Nissan Kicks

Hyundai Creta Action