Logotipo Olho no Carro

Devido à alta no preço dos combustíveis líquidos, muitas pessoas estão optando por carros com GNV (Gás Natural Veicular), mas será que vale a pena comprar um carro a gás? Saiba tudo sobre esse assunto aqui! 

Recentemente, o Detran SP divulgou que houve um aumento de 102% nos pedidos de conversão de veículos para GNV. Esse aumento está diretamente relacionado à alta contínua do preço da gasolina e do etanol, mas é necessário se atentar a alguns fatores antes de comprar um carro a gás! 

Você sabia que pode consultar o histórico de um veículo antes de comprar? 

Basta saber o número da placa para ter acesso a informações como dados cadastrais, gravame, restrições, débitos, roubo e furto, batidas, passagem por leilão e recall. Com isso, você terá muito mais segurança na hora de negociar um veículo usado ou seminovo. 

O que é o Gás Natural Veicular (GNV)? 

O Gás Natural (GN) é um combustível fóssil encontrado na natureza, mais precisamente dentro de rochas porosas. Ele é resultado da degradação de matéria orgânica, como fósseis de animais e plantas pré-históricas, que forma uma mistura de componentes com predominância de metano.  

Nos postos de abastecimento, para se tornar GNV, o Gás Natural é comprimido, o que reduz cerca de 200 vezes o seu volume. Assim ele pode ser transferido para os cilindros de armazenamento dos veículos. 

Como funciona um carro com GNV? 

O carro com GNV funciona da seguinte forma: 

Os cilindros de gás são instalados no porta-malas do veículo (a quantidade depende do espaço disponível no porta-malas e do tipo de motor). Então, o gás sai dos cilindros, passa pela tubulação, até chegar ao redutor de pressão, que adequa a pressão do gás ao funcionamento de cada motor. 

Antes de chegar ao motor, o gás passa pelo atuador, que é comandado por um gerenciador eletrônico. Após isso, o gás chega ao misturador, que o espalha pelo coletor de admissão. Então, o motor suga o gás misturado com o ar e queima essa mistura, que é liberada pelo escapamento. 

No escapamento, a sonda lambda faz a medição para verificar se a queima foi correta. Se não for, o gerenciador muda a regulagem do atuador, e isso acontece em frações de segundo. 

Como instalar Kit gás no carro? 

Para as instalações a partir da 5ª geração, são utilizados cilindros, suportes e um conjunto de peças mecânicas e eletrônicas que servem para gerenciar a injeção de gás no motor. Esse conjunto é chamado de “Kit GNV”

Existem vários tamanhos, tipos e capacidades de cilindros. A escolha do tamanho e da posição vai depender do espaço disponível no porta-malas do veículo. 

O kit GNV é padrão para todos os carros. A quantidade de cilindros muda de acordo com o motor (V4, V6 ou V8), mas os componentes são os mesmos: 

  • A central eletrônica que capta informações da central do veículo e dos outros componentes do GNV e gerencia a entrada de gás no motor; 
  • A rampa injetora ou flauta. Esse dispositivo é composto de eletroválvulas, uma para cada cilindro, que controlam o fluxo de gás dentro do motor; 
  • O redutor, que reduz a pressão que vem do cilindro antes de enviar para a flauta; 
  • O sensor MAP, que regula a pressão do Kit; 
  • O manômetro que mede a pressão do gás no cilindro; 
  • O filtro de gás; 
  • A chave seletora de combustível para alternar entre gás, combustível líquido ou automático.  
Importante: é necessário pedir a autorização do Detran do seu estado para poder instalar o Kit gás! 

Cada Detran tem o seu próprio procedimento, já que não há padronização nos serviços dos órgãos de trânsito. Para saber mais informações, acesse o site do Detran do seu estado:

 ACALAPAMBACEDFESGOMAMTMSMGPAPBPR;PEPIRJRNRSRORRSCSPSETO 

Após conseguir a autorização, siga este passo a passo para instalar o Kit GNV no seu carro: 

Procure uma instaladora credenciada pelo Inmetro para realizar o serviço. Normalmente, o tempo de serviço é de 1 a 3 dias e, ao final da instalação, a oficina te entregará duas notas fiscais: uma do kit e do cilindro, contendo números de série únicos, e outra de serviço, junto ao ATQ (Atestado Técnico de Qualidade).  

Após isso, você deve levar o veículo para uma inspeção rigorosa de segurança, em uma vistoriadora autorizada. Se tudo estiver em ordem, serão emitidos o selo do Inmetro e o CSV (Certificado de Segurança Veicular).  

Para finalizar a conversão do veículo, você deverá ir até o Detran ou um despachante com os seguintes documentos: 

  • A autorização de conversão; 
  • As notas fiscais; 
  • O ATQ; 
  • O CSV; 
  • O selo do Inmetro; 
  • Os documentos originais do veículo. 

Quanto custa a instalação de GNV? 

O preço depende muito da instaladora e do tipo de kit gás que será instalado no veículo. Para conseguir instalar um bom Kit GNV no seu veículo, prepare-se pra investir de R$ 5mil a R$ 7 mil. 

Vale a pena comprar um carro a gás? Veja quais são as vantagens e desvantagens! 

Principais vantagens de comprar um carro a gás: 

1 – Economia de combustível: com o uso do gás, a economia de combustível é de 43% a 58% maior do que com o uso de gasolina e de 44% a 66% maior do que com o uso de etanol. 

2 – Menos poluição: o GNV emite cerca de 20% menos dióxidos de carbono (CO2) na atmosfera em relação a gasolina e 15% em comparação com o etanol.  

3 – Maior durabilidade do óleo do motor: esse tipo de combustível não se mistura e não contamina o óleo lubrificante, aumentando a vida útil do líquido.   

4 – Aumento da vida útil do escapamento: como não há acúmulo de água, o sistema pode durar até 20% a mais do que em carros abastecidos com combustíveis líquidos. 

Principais desvantagens de comprar um carro a gás: 

1 – Possibilidade de trincar o cabeçote do motor: com o gás GNV, o motor recebe mais pressão, com isso, podem ocorrer pequenas fissuras. Por isso, o ideal é manter o motor sempre regulado, seguindo as recomendações da instaladora. 

 2 – Desgaste dos cabos de vela: a vida útil desses componentes pode cair de 30 mil para 15 mil Km rodados.  

3 – Travamento das válvulas: por trabalharem com um combustível seco, os cilindros podem ficar sem lubrificação, o que causa desgaste nas peças, levando ao travamento. Para evitar esse problema, convém utilizar a gasolina ou o álcool por, pelo menos, 5 km todos os dias. 

4 – Perda de potência do motor: os Kits GNV da 5ª geração, por exemplo, apresentam uma perda de potência de cerca de 3% em relação a um motor movido a combustão. 

 5) Perda de garantia: a instalação do kit gás faz com que a garantia de fábrica do veículo seja perdida, por isso, se você tem um carro novo, é melhor reconsiderar o uso do GNV. 

Leia também: Gasolina, álcool ou Flex: qual modelo escolher na hora da compra?