Logotipo Olho no Carro

Você sabia que muitos dos veículos usados que são vendidos no Brasil já passaram por leilão? A melhor forma de negociar esse tipo de veículo é sabendo a origem antes de comprar. Por isso, vamos te mostrar como saber se o veículo é de leilão pela placa!

De onde vêm os carros de leilão?

Os leilões costumam revender veículos destas três origens:

  • Recuperados de seguradora, por furto ou sinistro (batidas);
  • Renovação de frota de empresas;
  • Instituições financeiras que recebem carros dados em garantia de empréstimos, ou recuperados de financiamento não pagos.

Como saber se o veículo é de leilão pela placa?

Há duas formas de saber se o veículo é de leilão:

  1. Utilizar o serviço de diversas perícias automotivas;
  2. Fazer a consulta de leilão da Olho no Carro.

Com essa consulta, só pelo número da placa, você pode ter acesso a informações sobre leilão, batidas, dados cadastrais, aceitação em seguros e comercialização.

Além de uma funcionalidade exclusiva: o Score de leilão, que te mostra qual é a possível origem do veículo leiloado, o percentual de perda no valor de tabela e a probabilidade de que seja exigida uma vistoria especial durante a contratação de um seguro.

Quer saber mais?
imagem de um botão laranja escrito: clique aqui para fazer a consulta de leilão
Você pode se interessar por estes assuntos também:

Apesar da surpresa, será que há algum problema em comprar carros que já foram leiloados?

A verdade é que, vendedores honestos deveriam informar a origem do veículo, principalmente quando o comprador pergunta. É claro que a maioria deles esconde esse fato porque tem medo que o cliente desista da compra ou peça desconto, mas seria o certo a se fazer.

Do ponto de vista da qualidade do produto, um veículo de leilão pode ter condições tão boas quanto qualquer outro seminovo à venda. Mas, como boa parte das unidades ocupadas nos pátios dos leiloeiros, os veículos podem ter sido recuperados de roubo, furto ou batidas em geral.

Nesse caso, é melhor pedir ajuda de um mecânico da sua confiança e fazer a avaliação do veículo antes de fechar negócio!

Mitos e verdades: tirando as principais dúvidas sobre carros de leilão!

1 – O documento do veículo sempre informa que a origem é de leilão

MITO. O documento do carro não diz que ele foi comprado em leilão. Essa informação pode aparecer em laudos que são realizados para fazer a transferência do veículo.

O que pode aparecer no documento é a informação de que ele foi recuperado de sinistro, mas há outros motivos que fazem o carro ir para leilão, que pode ser que não apareçam nos documentos.

Por isso, além do custo/ benefício, é melhor você avaliar o histórico completo. Assim, você poderá saber se realmente existe algum problema relacionado ao veículo e se vale a pena comprá-lo.

Clique aqui e veja como é fácil consultar o histórico de um veículo!

2 – Todos os carros leiloados estão danificados

MITO. Esse é o maior mito sobre carros leiloados. Mesmo que seja verdade que existem leilões de carros sinistrados, de alagamentos ou de veículos parados há muito tempo sem manutenção (os de pátios públicos), é errado dizer que todos os veículos de leilão têm problemas mecânicos.

Inclusive, é comum encontrar carros novos ou com pouca quilometragem rodada nos leilões. Normalmente, eles são carros de vitrine, test drive e recuperados de financiamentos que não foram pagos.

Sendo assim, é possível comprar carros nunca – ou quase nunca – usados, por um preço abaixo do mercado e sem ter dores de cabeça na seguradora.

Mas em qualquer um dos casos, é importante que o vendedor sinalize a origem do carro e você faça uma compra consciente.

3 – Seguradoras não cobrem carros de leilão

MITO. As seguradoras aceitam normalmente carros comprados em boas condições: como os que vêm de renovação de frota ou os que os bancos retomam de financiamentos não pagos.

Para isso, basta você apresentar o laudo da inspeção veicular atestando as boas condições do veículo. Também vale pesquisar em diferentes seguradoras do mercado.

Já os veículos batidos enfrentam mais restrições e a aceitação depende do nível do dano e da qualidade do conserto.

4 – As dívidas e multas anteriores do veículo serão de responsabilidade minha

MITO. Leia bem o edital de compra! O edital do leilão deve trazer a relação de multas do veículo e informar que pagamento deve ser feito pelo novo dono.

Caso alguma multa nova, anterior à data do leilão, apareça e não tenha sido informada no edital, o pagamento é de responsabilidade de quem está vendendo. É assim também em transações “normais” de compra e venda de veículos.

O veículo é de leilão e agora?

Se você comprou um veículo e foi enganado pelo vendedor quanto à origem, você tem todo direito de procurar seu advogado ou fazer uma reclamação no Procon. O caso é mais grave se o veículo foi recuperado de sinistro (acidente) e você não foi informado antes da compra.

Já se você comprou um veículo de leilão e for questionado por um comprador, seja justo e abra o jogo. Sua sinceridade vai ser recompensada pela confiança do possível comprador, principalmente se você souber explicar os ajustes que foram feitos.

Atenção: revender veículos de leilão não é ilegal, mas ele sofre depreciação de mercado, mesmo que esteja em boas condições físicas (acabamentos) e técnicas (motores e equipamentos).

O que de fato compromete o carro e a venda dele?

Conforme falamos acima, de todas as três principais procedências de carros de leilão, a mais “danosa” ao veículo e ao seu bolso é a que tem origem por colisão (batida) ou até alagamento. 

Se você descobriu que o carro é de leilão, ou se, conscientemente, está optando pela compra desse tipo de carro, tenha atenção e saiba avaliar!

Indícios que te mostram que a compra não é boa:
  • Diferença de pintura entre cada lado do carro ou moto;
  • Marcas de terra debaixo dos bancos e carpetes;
  • Carpete e forração descolando e/ou estufados;
  • Espaço irregular ou vão ao fechar as portas;
  • Portas que raspam nos batentes;
  • Dispositivo do cinto emperrando ou com mau funcionamento;
  • Número de chassi ou do motor diferente do original;
  • Óleo escorrendo do escapamento;
  • Água dentro dos faróis e lanternas;
  • Fumaça saindo do escape.