Logotipo Olho no Carro

Sempre teve carros manuais e fica inseguro na hora de dirigir carros com câmbio automático? Então veja as nossas dicas e se livre desse medo de uma vez por todas! 

Para dirigir carros com câmbio automático, é importante deixá-lo na função “D” (que significa Drive, ou dirigir, em português). Para trocar de funções (letras) sempre pise no pedal de freio e, em seguida, ajuste o câmbio na posição desejada. Utilize os pedais do acelerador e do freio para aumentar e diminuir a velocidade e, quando for estacionar, deixe o carro na função “P”, com o freio de mão engatado. Saiba mais: 

Como dirigir carros com câmbio automático? Veja tudo o que você precisa saber: 

1 – Como ligar o carro? 

É comum que as pessoas que estão acostumadas com carros manuais, tenham dificuldade na hora de ligar um carro automático.

Mas é simples: sempre que for ligar carros automáticos, você deve pisar no pedal do freio. Em seguida, basta apertar o botão “Start” ou ligar o carro com a chave. 

Feito isso, coloque na função “D”, para começar a dirigir. Veja abaixo algumas dicas que vão te ajudar na troca de funções. 

2 – Macetes para a troca de funções: 

1 – Sempre pise no freio quando for alternar entre as funções do câmbio; 

2 – Muitos câmbios automáticos têm um botão no pomo, que é a parte na qual você coloca a sua mão. Esse botão, normalmente, fica na lateral e, sempre que for movimentar o câmbio, você deve apertá-lo; 

3 – Evite fazer trocas muito bruscas, porque isso pode causar desgastes; 

4 – Não mude de funções com o carro em movimento. 

3 – Conheça as funções do câmbio automático: 

D (Drive)

Drive significa dirigir e essa função é usada para andar com o veículo. 

R (Reverse)

Essa é a função de marcha à ré, usada quando você quer que o veículo ande para trás. 

N (Neutral)

Neutro é o famoso ponto-morto, você pode usá-lo em momentos específicos, como engarrafamentos, mas é bom não exagerar no uso dessa função. 

P (Parking)

Parking significa estacionamento e essa função deve ser utilizada sempre que você for estacionar o veículo. Mas lembre-se de engatar o freio de mão, para garantir que ele realmente ficará parado. 

Alguns carros automáticos ainda trazem outras funções: 

L (Low)

Essa função funciona como freio-motor. Ao acionar, a marcha ficará mais forte e o próprio motor ajudará a frear o carro. 

Marchas sequenciais

As marchas sequenciais podem ser definidas como “1, 2 e 3” ou como “+ e -”. Essa função faz com que você possa controlar as marchas de forma parecida com a dos carros manuais, extraindo mais força do motor e otimizando o consumo de combustível. Vamos te explicar quando usá-las mais para frente! 

S (modo Sport)

A função esportiva muda as respostas da transmissão, “esticando” mais as marchas e fazendo a passada em giros mais altos (cerca de 500 rpm a mais). 

4 – Quando usar as marchas sequenciais? 

As marchas sequenciais podem ser usadas em trechos de serra, assim você pode trocar as marchas de forma mais eficiente e ter mais interação com o carro, evitando imprecisões na subida. Além disso, você otimizará o funcionamento do motor, nas rotações adequadas, o que te ajuda a economizar combustível. 

Essa função também facilita a sua vida durante ultrapassagens e retomadas, já que você pode ter mais controle do carro. 

5 – Como estacionar o carro na subida ou na descida? 

Um dos problemas mais recorrentes para quem ainda não está acostumado a dirigir carros com câmbio automático, acontece na hora de estacionar. É comum que o carro “volte” após ser estacionado e não fique totalmente parado como deveria. 

Isso acontece porque, ao estacionar um carro automático na subida ou na descida, é necessário prestar atenção em alguns detalhes:   

1 – Não deixe o carro na posição “N”, mas sim na posição “P”. Como dissemos anteriormente, “P” está relacionado à palavra “parking”, que significa “estacionamento”.    

2 – Não esqueça de engatar o freio de mão. É ele que vai ajudar a “segurar” o carro estacionado em subidas ou descidas. 

6 – Como funciona o Kickdown? 

O Kickdown é um recuso muito útil durante as ultrapassagens. Essa função pode ser acionada quando o motorista precisa de mais força. 

Quando o condutor aciona essa função e pisa fundo no acelerador, o dispositivo reduz uma ou duas marchas, para aumentar a faixa de giros de trabalho do motor, e entregar uma retomada mais rápida. 

Nem todos os carros têm essa função, mas ela é cada vez mais comum nos carros modernos. 

7 – O que fazer quando o câmbio enguiçar? 

Normalmente, na base da alavanca do câmbio automático há uma plaquinha removível. Basta retirar essa plaquinha, como a ajuda de uma chave de fenda ou da chave do carro, e destravar o sistema de transmissão. Isso vai permitir que o veículo seja rebocado ou empurrado.  

Dica: no Manual do Proprietário, é possível saber onde fica o sistema que “solta” o carro. 

Ao contrário do que acontece com os carros manuais ou automatizados, os carros automáticos não “pegam no tranco”. Isso porque, quando o motor está desligado, o conversor de torque não funciona, então nenhuma marcha fica “engatada”.  

Foto do câmbio automático de um carrp
*Imagem retirada de banco de dados público digital
Está pensando em comprar um carro usado?  

Não importa se ele é manual ou automático, sempre consulte o histórico completo para evitar problemas! 

Leia também: A consulta veicular não é igual ao laudo cautelar? Entenda a diferença! 

Quer saber mais sobre o câmbio automático? Veja abaixo as respostas para as principais perguntas sobre esse tema: 

Como funciona o câmbio automático? 

O sistema manual, que o mais comum nos carros antigos, tem engrenagens separadas, com diferentes relações para cada marcha. Ele conta com a embreagem para auxiliar o motorista nas trocas de marcha e é o próprio motorista que realiza essas trocas ao longo do percurso, de acordo com a velocidade e os giros do motor. 

Já no câmbio automático, a embreagem é substituída pelo conversor de torque, que faz a ligação e transfere a força do motor para a transmissão. Então, as trocas de marcha são feitas automaticamente pelo sistema, que também leva em consideração a velocidade do veículo e as rotações do motor. 

Quais são as vantagens e desvantagens dos câmbios com conversor de torque? 

As principais vantagens do câmbio com conversor de torque são: 

1 – Mais conforto ao dirigir 

Como nos carros automáticos as marchas são trocadas automaticamente, o motorista pode guiar o carro sem ter que se preocupar com diversas coisas ao mesmo tempo. Isso, além de trazer mais conforto, ajuda a garantir mais segurança, já que é possível focar na estrada e nos outros veículos.   

2 – Maior durabilidade 

Como os câmbios automáticos são desenvolvidos para funcionar da forma mais eficiente possível, a durabilidade dos componentes é maior. 

Mas, é claro que, essa durabilidade também dependerá das revisões e da troca de fluido, conforme for especificado pela fabricante. 

Já as principais desvantagens são: 

1 – Maior consumo de combustível  

Por ser mais pesado, o câmbio automático exige um pouco mais do motor e isso aumenta o consumo de combustível do veículo. Mas, as caixas mais modernas, quando são combinadas a motores mais eficientes, fazem com que o consumo seja bem parecido com o dos carros manuais. 

2 – Maior custo de manutenção 

Mesmo que sejam mais duráveis e não exijam trocas frequentes dos componentes (como os câmbios manuais), os câmbios automáticos contêm tecnologias mais complexas, por isso, a manutenção é mais cara. 

Para consertar um câmbio com conversor de torque, é necessário que a oficina seja especializada, tenha profissionais preparados e um ferramental específico. 

Qual é a diferença entre câmbio automático e automatizado? 

No geral, o funcionamento do sistema automatizado é parecido com o manual. A diferença é que esse mecanismo praticamente não precisa da ação do motorista. Ele conta com um dispositivo eletrônico que controla as mudanças de marcha.  

Já o câmbio automático, não tem engrenagens para controlar a força do motor, mas sim um conjunto de discos que abrem e fecham, de acordo com a marcha utilizada.

Além disso, esse tipo de sistema tem uma peça chamada conversor de torque. Essa peça substitui o pedal da embreagem e é responsável por enviar a força do motor para as rodas.  

Então, a principal diferença entre o câmbio automático e o automatizado, é que o automatizado ainda tem embreagem, mesmo que ela seja controlada de forma automática.  

Leia também: Direção elétrica ou hidráulica? Qual é melhor?