Logotipo Olho no Carro

Veja a avaliação completa do Chevrolet Montana G1, que nós fizemos em parceria com o canal Volta Rápida.

O Chevrolet Montana G1 chegou ao mercado brasileiro em 2003, pouco tempo após o lançamento da segunda geração do Corsa nacional. Apesar de ser o sucessor natural do finado Corsa picape, é tratado como um modelo à parte, pelo fato de ter um nome próprio, que acabou por ser usado até o fim de vida da picape, o que aconteceu na segunda geração, no ano de 2021.  

Lançado como ano/modelo 2004, o Montana trouxe os mesmos predicados do então Corsa da época e é tido por muitos como o melhor modelo da picape, principalmente por conta do desenho bem resolvido. Neste artigo vamos conhecê-lo em detalhes, além de analisar seus principais pontos fortes e fracos. 

Está pensando em comprar um Chevrolet Montana G1 usado?

Então consulte o histórico completo pela placa e evite problemas!

Design 

Apesar do nome próprio, o Montana de primeira geração poderia continuar se chamando “Corsa picape” sem problemas, por ser um derivado direto do hatch lançado poucos anos antes.

Sendo assim, a base do desenho é a mesma, diferenciando-se por alguns detalhes que mencionaremos mais adiante, que foram pensados para adequar o modelo ao gosto de seus possíveis clientes que, em sua maioria, não eram os mesmos pretendidos pelos demais produtos da família Corsa. 

Nas versões mais baratas, por exemplo, o para-choque vinha no tradicional preto fosco, sem a pintura da carroceria, pois eram configurações voltadas ao trabalho e dispensavam certos “mimos”.  

Algumas variantes também podiam receber arcos plásticos nos para-lamas, algo que também não existia nos Corsa hatch e sedan, sempre com para-choques na mesma cor do carro e para-lamas sem as molduras protuberantes.

Já as versões mais caras traziam uma releitura do para-choque do hatch, com mais vincos e um aplique frontal em plástico preto, sendo o restante da cor da carroceria e trazendo os mesmos faróis de neblina, que também eram usados no Meriva. 

De lado, o Chevrolet Montana G1 traz uma pequena vigia traseira após as portas, para dar mais volume à cabine, e uma fenda quadrada de cada lado, localizada próximo aos para-lamas traseiros, para auxiliar o acesso à caçamba.

Os para-lamas são bem pronunciados, fazendo a picape parecer mais larga e finalizando as lanternas verticais com elementos circulares, que são exclusivas do modelo. 

Esses temas podem te interessar:

Mecânica 

O Montana de primeira geração pode ser encontrado com duas opções de motorização, ambas da conhecida Família I, com quatro cilindros, tecnologia flex e aspiração natural: o 1.4 capaz de gerar até 105 cv e 13,4 kgfm e o 1.8 que entrega até 114 cv e 17,7 kgfm.  

Para ambos, a única opção de transmissão é a caixa manual de cinco velocidades. No mais, o Montana traz as mesmas características dos demais carros da família Corsa, como suspensão traseira por eixo de torção e freios a disco somente na dianteira. 

Interior 

Por dentro, o Montana de primeira geração também se espelha no Corsa que o originou, trazendo o mesmíssimo acabamento e estilo visual.

As portas, por exemplo, trazem a parte de contato com o braço em tecido e o restante em plástico, além de acomodar os comandos dos vidros elétricos (quando disponíveis). 

O cluster de instrumentos traz o tradicional layout de mostradores analógicos, com dois elementos maiores e outros dois menores, usando uma pequena tela para o odômetro parcial e total conjugados. 

No mais, o painel é inteiramente em plástico, mesclando diferentes tons de cinza e detalhes diferenciados no console central, que emolduram as saídas de ar, rádio e controles do ar-condicionado.

Atrás dos bancos há um pequeno compartimento útil para abrigar mochilas ou malas de menor porte, ou então permitir que o encosto dos assentos seja ligeiramente reclinado, para aumentar o conforto em trajetos mais longos. 

Tecnologia 

Sendo um carro pensado, primeiramente, para o trabalho, as versões mais baratas do Montana não contavam com nenhum tipo de recurso tecnológico, fora a direção com assistência hidráulica.  

Por outro lado, as versões mais equipadas ofereciam itens de comodidade incomuns em picapes do segmento como:
  • Retrovisores com ajustes elétricos;
  • Ar-condicionado;
  • Rádio com conexão Bluetooth;
  • Display destacado no topo do console;
  • Faróis com ajuste elétrico de altura;
  • Faróis de neblina.
Saiba mais sobre o Chevrolet Montana G1 neste vídeo:

Principais pontos fortes 

Desempenho

Diferentemente da segunda geração, o primeiro Montana foi vendido com motores 1.4 e 1.8. Enquanto o 1.4 é melhor para quem preza pela economia, o 1.8 é mais adequado para quem colocará a picape no uso mais severo.

Oferecer as duas opções foi um dos grandes acertos da Chevrolet e ajuda a explicar o porquê da preferência pública pela primeira geração.

Capacidade

Sua caçamba de 1.143 litros e a capacidade de carga de até 735 kg fazem com que o Montana dê conta da maioria dos trabalhos sem grande esforço. 

Mercado

Apesar de ter saído de linha há 12 anos, a primeira geração da picape ainda é desejada e muito comercial, sendo um carro fácil de comprar e fácil de vender. 

Principais pontos fracos 

Usados

Existem certos tipos de carros que exigem uma inspeção muito mais cuidadosa antes da compra, devido à alta possibilidade de um histórico ruim, e não há dúvidas de que os utilitários estão no topo dessa lista.

O Montana foi um carro pensado para o trabalho e, embora nem todo mundo tenha o usado assim, a grande maioria dos exemplares foi “moído” e, atualmente, encontra-se maquiado em lojas e revendas à procura de um possível comprador sem muita atenção. Analise bem os exemplares que pretende levar para casa. 

Segurança

O primeiro Montana foi feito em uma época onde recursos de segurança eram quase que exclusividade dos carros mais caros.

O utilitário não traz freios ABS ou airbags duplos frontais, por exemplo, o que o faz descartável para quem se preocupa com esse tópico.

Prefira a segunda geração que, por ter sido fabricada entre 2011 e 2021, já traz pelo menos esses itens nos exemplares mais atuais. 

Economia

Apesar do motor 1.4 ser mais econômico do que o 1.8, ele ainda não é um exemplo de consumo. Se esse é um fator primordial para sua compra, é melhor pensar em algum dos rivais. 

Principais concorrentes diretos 

Ford Courier 

Fiat Strada 

Volkswagen Saveiro