Logotipo Olho no Carro

Gosta dos carros dos anos 80, mas não sabe qual comprar? Então veja a nossa lista de carros que ainda valem a pena e algumas dicas de como cuidar, para garantir mais tempo de uso. 

Os anos 80 foram marcados por inúmeros lançamentos de carro, que são considerados relíquias até hoje.

Mesmo sendo bem menos tecnológicos do que os carros atuais, muitos deles têm uma mecânica confiável e são fáceis de manter, devido à facilidade de encontrar peças e mão de obra especializada. 

Importante:

Ao optar pela compra de carros dos anos 80, você precisa ter atenção redobrada ao histórico do veículo e à quilometragem.

Quer ver um jeito fácil de consultar o histórico completo do carro só pela placa? Clique no botão abaixo: 

Leia também: 7 carros de 10 a 15 mil reais para quem quer economizar! 

Veja agora quais são os 5 carros dos anos 80 que ainda valem a pena: 

Fiat Uno Mille – 1985 

Foto Fiat Uno Mille 1985 vermelho, um dos melhores carros dos anos 80
*Imagem retirada de banco de dados público digital

O Uno sempre fez muito sucesso e até hoje agrada boa parte dos consumidores brasileiros.

E isso não é à toa: esse carro é confiável, fácil de manter, resistente e recomendado para quem precisa de um veículo para rodar no dia a dia, de preferência em trechos urbanos. 

É claro que, na versão dos anos 80, ele será encontrado com a quilometragem bem mais alta do que seria recomendada para evitar problemas mecânicos recorrentes. Ainda assim, é um bom carro e pode ser encontrado por valores bem acessíveis no ano/modelo 1985. 

Esse ano/modelo tem motor 1.3 movido a álcool, chega a uma velocidade máxima de 150 km/h e o consumo médio na cidade é de 8 km/l, enquanto na estrada é de 10 km/l. 

Chevrolet Chevette – 1986 

Foto Chevrolet Chevette 1986 azul claro
*Imagem retirada de banco de dados público digital

O Chevette chegou ao Brasil quase na mesma época que o Opala, que também foi um sucesso.

Até hoje, esses dois carros conquistam os consumidores brasileiros e são tratados como relíquias, mas a grande vantagem do Chevette é que, por ser um carro mais leve, a dirigibilidade na cidade é muito melhor. 

Assim como todos os outros carros dessa lista, esse modelo é fácil de manter, já que tem uma mecânica confiável e peças que podem ser encontradas facilmente até hoje. 

Ele tem motor 1.6 movido a álcool, que gera até 72 cv de potência e 12,3 kgfm de torque, com câmbio manual de 5 marchas. A tração é traseira e o consumo na cidade é de, em média, 7,4 km/l, enquanto na estrada é possível fazer até 11 km/l. 

Volkswagen Fusca – 1980 

*Imagem retirada de banco de dados público digital

O Volkswagen Fusca é um dos carros de maior sucesso, principalmente no mercado brasileiro. Por esse motivo, a revenda é muito fácil, basicamente: “Anunciou, vendeu!”. 

Isso acontece porque esse modelo é muito durável e a manutenção é muito fácil, já que é possível encontrar peças e mão de obra especializada em qualquer região. 

Como pontos negativos, o Fusca tem o espaço interno bastante reduzido e uma posição de dirigir um pouco desconfortável. Além do ruído do motor, que invade bastante a cabine e pode incomodar, principalmente em viagens mais longas. 

No ano/modelo 1980, esse carro tem um motor que gera até 46 cv de potência e 7,1 kgfm de torque, com câmbio manual de 4 marchas e tração traseira. O consumo na cidade é de 7 km/l e na estrada é de 11 km/l. 

Volkswagen Gol GL –1984 

*Imagem retirada de banco de dados público digital

Por incrível que pareça, quando surgiu (em 1980) o motor 1.3 do Gol, derivado do motor do VW Fusca, não agradou nem um pouco.

O desempenho era ruim e o ruído do motor virou motivo de chacota na época, fazendo com que o modelo vendesse bem menos do que era esperado pela marca. 

Em 1982 começaram as mudanças, que fizeram do “Gol Copa” 1.6 um sucesso, chegando ao ápice em 1983. Em 1984, esse modelo ganhou para-choques grafite, novas spoilers e até mesmo uma versão esportiva, que também fez muito sucesso, o famoso Gol GT. 

Te contamos tudo isso para te alertar que, se você quer um VW Gol dos anos 80, é melhor escolher um ano/modelo a partir de 1984. Isso porque, ele tem um desempenho muito melhor, além de um painel com muito mais funções do que os modelos anteriores. 

Esse carro tem motor VW 1600 movido a álcool, tração dianteira, direção simples e câmbio manual de 4 marchas. A potência máxima é de 51 cv e ele atinge uma velocidade de até 142 km/h. O consumo na cidade é de 6 km/l, enquanto na estrada é possível fazer até 11 km/l. 

Chevrolet Monza – 1989 

*Imagem retirada de banco de dados público digital

Assim como os outros carros dessa lista, o Monza teve uma trajetória de sucesso de vendas no Brasil, com ápice entre os anos 1984 e 1986.

Ele foi vendido por 14 anos, até a chegada do seu sucessor, o Vectra, e trouxe uma série de tendências do mercado europeu. 

Esse ano/modelo tem motor 1.8 movido a álcool, que gera até 95 cv e chega a até 160 km/h. O consumo é de 7,28 km/l na cidade e 10,26 km/l na estrada. 

O Monza é fácil de manter, tem um acabamento interno superior ao de todos os carros dessa lista e é uma ótima opção para quem gosta de carros antigos e procura um modelo para o dia a dia, que seja encontrado por valores mais acessíveis. 

Confira alguns cuidados que você deve tomar para conservar carros antigos: 

Essas dicas não servem só para carros dos anos 80, mas também para todos os carros antigos e modernos, já que, no geral, o funcionamento dos veículos é parecido.

1 – Deixe o motor esquentar 

Todos os motores precisam atingir uma temperatura específica para funcionarem corretamente. A diferença está no tempo que você precisa deixar o carro ligado, para que ele atinja essa temperatura ideal.

Para os carros antigos, recomenda-se esperar até 5 minutos, que é o tempo necessário para garantir que ele terá o melhor desempenho, além de evitar problemas no motor. 

Também é importante inspecionar o carburador a cada 3 meses. Esse componente foi substituído pela injeção eletrônica nos carros atuais e é essencial para o bom funcionamento dos carros antigos. 

2 – Respeite os prazos da troca de óleo 

A lubrificação é essencial para preservar os componentes do motor, evitando desgastes. Então faça a troca do óleo e dos filtros periodicamente, seguindo as instruções da fabricante. 

Além disso, preste atenção no consumo de óleo do motor e em possíveis vazamentos, que são comuns nesse tipo de carro.  

Por fim, ande com o veículo pelo menos uma vez por semana, por 20 minutos, para que o óleo não perca seu poder de lubrificação e o motor fique conservado. 

3 – Tenha cuidado redobrado com os freios 

Se o seu carro tem freios a tambor, você deve evitar ao máximo as freadas bruscas. Isso porque, os carros antigos não têm tecnologia embarcada nos freios como os veículos atuais.  

Também é importante testar os freios toda vez que for dirigir e revisá-los periodicamente. As lonas dos freios a tambor se desgastam muito rápido, sendo assim, tenha uma atenção especial. 

4 – Sempre verifique a bateria 

Faça a revisão periódica da bateria, principalmente se você costuma deixar o seu carro parado por muito tempo. Esse componente tende a se desgastar mais em veículos que não são utilizados todos os dias. 

Se você não quer ter surpresas desagradáveis, ande com o seu carro pelo menos uma vez por semana, mesmo que seja uma volta rápida, de um quarteirão.

E se o seu carro for passar mais do que duas semanas parado, desconecte os cabos de bateria.  

5 – Cuide da aparência externa e interna do veículo 

Se você quer valorizar o seu carro para poder ganhar mais em uma possível revenda, deve cuidar bem da aparência externa e interna. 

É importante não deixar a sujeira acumulada e usar os materiais certos durante a lavagem. Se for usar cera, escolha a que for recomendada pela fabricante. 

Clique aqui para ver algumas dicas de como lavar o seu carro em casa!