Logotipo Olho no Carro

O que são carros autônomos? Será que são tipo os carros da Tesla? Quais são as vantagens e desvantagens desse tipo de veículo? 

Os carros 100% autônomos ainda estão em fase de testes, por isso, vão demorar algum tempo para chegar a ser produzidos em larga escala e realmente fazer parte do nosso dia a dia. Então, enquanto esse dia não chega, vamos entender melhor quais são os prós e contras desse tipo de veículo e o que nos espera em um futuro não tão distante. 

Saiba tudo sobre carros autônomos e conheça os principais prós e contras desse tipo de veículo! 

Como os carros autônomos funcionam? 

Para explicar o funcionamento dos carros autônomos, nós podemos fazer uma comparação com o nosso próprio corpo. 

De forma bem resumida (mesmo), os veículos totalmente autônomos têm sensores de radar e câmeras que têm a mesma função dos nossos olhos, ouvidos e nariz, de identificar o mundo ao redor e reagir quando for necessário. 

Para se ter uma ideia da complexidade, para construir um carro autônomo, é necessário contar com o trabalho de centenas de profissionais, principalmente da área de tecnologia, como os programadores de machine learning

São inúmeros os componentes necessários para garantir que esses veículos serão funcionais e, principalmente, seguros para passageiros e pedestres. Justamente por isso, os carros com 100% de autonomia ainda estão em fase de testes e vão demorar um tempo para chegar no mercado, especialmente no nosso. 

Nem mesmo os carros da Tesla podem ser considerados 100% autônomos! Saiba mais sobre a escala de autonomia dos carros

Você sabia que existe uma escala que define qual é o nível de autonomia de um carro? Essa escala foi criada pela Sociedade dos Engenheiros Automotivos (SAE) e classifica os veículos desta forma: 

Sem automação (SAE 0) 

São os veículos que não possuem nenhum tipo de auxílio ou controle pelo sistema e dependem totalmente do motorista para acelerar, dirigir, monitorar o ambiente e responder às situações de risco.  

Assistência ao Condutor (SAE 1) 

O sistema consegue ajudar o motorista com algumas atividades mais simples, como manter a aceleração, assumir algumas funções do piloto automático e disponibilizar modos de condução distintos, que são escolhidos manualmente, para se adaptar às necessidades do trajeto.  

Automação Parcial (SAE 2) 

Nesse caso, o sistema é capaz de assumir, por conta própria, algumas funções do veículo, como acelerar e frear, de acordo com o limite estipulado pelo motorista.  

Automação Condicional (SAE 3) 

Para se encaixar no nível 3 de autonomia, os veículos precisam acelerar e dirigir sozinhos, enquanto o motorista fica livre para realizar outras atividades.

Mas, eventualmente, é necessário que o condutor assuma o controle em situações de risco. Esses carros precisam ter um conjunto maior de sensores, como scanners a laser, sensores ultrassônicos e sistemas de radar como os LiDARS. 

É aqui onde se encaixam a maioria dos modelos da Tesla Motors. 

Automação Alta (SAE 4) 

Além de acelerar e dirigir sozinhos, nesse nível, os carros precisam definir rotas e manobras de condução, inclusive procedimentos de situações de risco, o que exige um alto nível de comunicação entre os veículos e a infraestrutura.  

Automação Completa (SAE 5) 

Por fim, o nível mais alto de autonomia veicular é considerado quando o carro não precisa de um motorista humano e assume absolutamente todos os controles e a responsabilidade pela direção.  

Você pode se interessar por estes assuntos também: 

Veja agora quais são as vantagens e desvantagens dos carros totalmente autônomos: 

Principais vantagens 

1 – Menos engarrafamentos

Quando todos os carros forem totalmente autônomos, o trânsito ficará mais organizado, priorizando as rotas mais efetivas e utilizando a “comunicação” entre os veículos para acabar com os engarrafamentos. 

2 – Diminuição de até 90% dos acidentes de trânsito

Como os carros terão inúmeros sensores e radares, conseguirão evitar a maioria dos acidentes de trânsito e seguir todas as regras que forem impostas na sua configuração. 

3 – Menos roubos de carro

A tecnologia dos veículos autônomos dificultará (e muito) a ação de bandidos, com isso, os roubos de carro tendem a diminuir ou até mesmo parar em questão de tempo. 

4 – Crescimento e melhora nos serviços de “taxi”

Os serviços de transporte de passageiros ficarão bem mais seguros (principalmente para as mulheres) e fáceis de encontrar, porque existe uma tendência de que, assim que os veículos autônomos forem popularizados, não haverá mais espaço para veículos comuns.

Com isso, as pessoas não poderão mais ter/dirigir seus próprios carros e utilizarão serviços de transporte. 

5 – Entregas mais rápidas

Devido à organização do trânsito, as entregas também chegarão mais rápido ao destinatário e será mais fácil controlar o trajeto. 

6 – Aumento na área de moradia

Como a maioria da população não terá mais os próprios carros, não será necessário ter garagens e estacionamentos, o que aumentará a área de moradia. 

7 – Menos poluição

Por serem totalmente elétricos, os veículos autônomos emitirão menos gases poluentes e isso terá um impacto positivo no meio ambiente. 

Principais desvantagens 

1 – Custo alto

Por serem muito tecnológicos, os carros autônomos são mais difíceis de produzir, o que aumenta muito o custo para o consumidor final. 

2 – Dificuldade de desenvolvimento

A complexidade da construção dos carros 100% autônomos faz com que sejam necessários diversos profissionais, especialistas em diversas áreas, para trabalhar no projeto. 

3 – Cyber criminosos

Enquanto o roubo de carros tende a diminuir, a atuação de cyber criminosos pode aumentar, já que será possível hackear e controlar o sistema dos carros, fazendo com que eles mudem de rota. 

4 – Questões ambientais

Ao mesmo tempo que os motores elétricos emitem menos poluentes, o fato de não haver mais estacionamentos ou garagens, fará com que os carros fiquem circulando pelas cidades, mesmo quando não houver passageiros ou entregas, o que pode impactar negativamente o meio ambiente e exigir uma maior geração de energia.

5 – Vigilância constante

Querendo ou não, as empresas responsáveis pela implementação dos veículos autônomos terão acesso aos nossos dados e à nossa localização quase que o tempo todo e isso tirará boa parte da nossa privacidade. 

6 – Perda de empregos

Motoristas de aplicativos, taxistas, pessoas que trabalham em montadoras de veículos, oficinas, entre outros, perderão os seus empregos, a menos que se especializem no funcionamento das tecnologias automotivas. 

7 – Não poder dirigir

Por último, mas não menos importante, os carros totalmente autônomos tirarão de muitas pessoas o prazer de dirigir o próprio veículo.