Logotipo Olho no Carro

O Hyundai i30 G1 chegou ao Brasil em 2009, dois anos após o seu lançamento no mercado estrangeiro, numa época em que o segmento de hatches médios era muito diferente do cenário atual.

O coreano chegou em três versões com cinco configurações disponíveis, preço competitivo e ares de carro premium, embarcando na onda do bom momento que a marca vivia no nosso país. Neste artigo vamos conhecer os detalhes do i30 e abordar as principais características da primeira geração do hatch coreano. 

Não compre um Hyundai i30 G1 antes de consultar o histórico!

Carros usados e seminovos podem ter sido batidos, ter passagem por leilão, Recall, histórico de roubo e furto, débitos, restrições, entre outras situações que diminuem o valor do veículo e dificultam a transferência para o seu nome.

Consulte agora e garanta a melhor compra!

Design 

Apesar de ser sul-coreano, todo o desenho do i30 G1 foi desenvolvido pelo departamento alemão de design da Hyundai, que criou um carro com elementos de design conhecidos e, ao mesmo tempo, pitadas de personalidade própria.  

Não são poucas as semelhanças entre a traseira do i30 e a do antigo BMW Série 1, mas o coreano busca se distanciar do alemão pelas grandes lanternas verticais que começam no encontro superior do para-choque traseiro e vai quase até o teto, em um design triangular de quina arredondada. 

O perfil do i30 busca ser mais elegante do que esportivo: há poucos vincos no desenho, nenhum friso e uma linha de cintura ascendente que termina em uma pequena vigia traseira no topo da coluna C, tudo incorporado a um conjunto bem “clean”, que agrada ao primeiro contato.  

Na dianteira, o desenho mantém a sobriedade, com uma pequena grade entre os faróis, adornada por um friso cromado, que envolve o emblema da marca. Além disso, há outra grade, um pouco maior, na porção central do para-choque e os sempre presentes faróis de neblina (de série em todas as versões). Além dos faróis principais de quinas arredondadas, que trazem projetores halógenos para luz baixa. 

Mecânica 

O i30 chegou ao Brasil com uma única opção de motor e duas de câmbio. O motor em questão é um conhecido de longa data da Hyundai, o 2.0 aspirado “Beta” que, no i30, gera até 145 cv e 19 kgfm.  

Esse motor é antigo e está no mercado desde a década de 90, mas sofreu atualizações com o passar dos anos e consegue entregar bons números, até mesmo para os padrões atuais, além de estar presente em inúmeros modelos, tanto da Hyundai quanto da Kia. 

Sobre as transmissões, o i30 pode ser comprado com câmbio manual de cinco marchas ou automático convencional de quatro marchas. Montado sobre uma plataforma chamada J4, esse modelo trouxe refinamentos típicos dos hatches médios mais caros, como suspensão independente na dianteira e traseira e freios a disco nas quatro rodas.  

Pesando 1.252 kg e com 340 litros de porta-malas, também é um carro equilibrado, se comparado aos rivais.

Quer saber mais sobre o Hyundai i30? Assista a este vídeo:

Interior 

O mesmo conservadorismo do exterior se encontra no interior do i30: a predominância de tons pretos nos bancos e acabamentos internos deixa o ambiente mais sério e sóbrio. Os poucos detalhes que destoam pelo tom prata se encontram no volante, no acabamento do câmbio e, nas versões mais caras, na moldura do rádio e das saídas de ar-condicionado. São poucos os detalhes cromados e, quando existem, são discretos ao máximo, na forma de pequenos filetes e/ou molduras de finalização das peças. 

Do mesmo modo, há poucas porções que fogem do plástico, como as partes das portas, onde o braço do passageiro repousa. A iluminação é predominantemente azul e mescla com elementos em branco no painel de instrumentos, quando tudo está aceso à noite. Os bancos, por sua vez, são volumosos e acomodam com conforto, graças às abas laterais pronunciadas e a densidade da espuma utilizada. 

Tecnologia 

O i30 foi fabricado em uma época em que a Hyundai não tinha tanto foco em oferecer tecnologia embarcada. Mesmo nas versões mais completas, o hatch coreano é bem modesto na lista de equipamentos, mas consegue trazer alguns itens raros na categoria. 

A versão mais barata vem com airbag duplo, freios ABS, ar-condicionado analógico, rodas aro 17 de liga-leve, faróis de neblina, vidros, travas e retrovisores com ajustes elétricos, rádio compatível com MP3, entre outros. Já a versão mais cara veio com itens como teto solar, oito airbags, controles de tração e estabilidade, ar-condicionado digital, bancos de couro e sensor de chuva. 

Principais pontos fortes 

Liquidez

O i30 G1 é um carro muito bem cotado e é querido no mercado de usados, especialmente porque a primeira geração possuía predicados que se perderam quando a segunda chegou ao Brasil. Com baixa desvalorização, o modelo é uma boa moeda de troca e é bom tanto na hora de comprar quanto de vender. 

Confiabilidade

Usando o mesmo motor e a mesma transmissão de uma grande gama de modelos, o i30 é um carro tranquilo de se ter e cuidar quando necessário. A simplicidade mecânica é uma receita já usada há anos pelos japoneses e os coreanos resolveram incorporá-la ao seu hatch. Deu certo. 

Desempenho

Apesar das limitações típicas das transmissões de quatro marchas, o i30 é um carro que anda muito bem, mesmo quando é mais exigido. O bom é que, caso isso lhe seja um incômodo, é possível encontrar modelos com câmbio manual sem muita dificuldade.

Principais pontos fracos 

Tecnologia

O i30 de primeira geração pertence a outra era do mercado automotivo e, embora pareça, nunca foi um carro premium de fato. Não espere encontrar recursos modernos ou de tecnologia, principalmente se comparar com os modelos de carros atuais. 

Consumo

O 2.0 aspirado é bom de andar, mas tem um alto consumo de combustível. Se consumo é uma preocupação para você, pense duas vezes antes de colocar um i30 na garagem. 

Espaço interno

Hatches médios nunca foram referência em espaço interno e o i30 não é exceção. O modelo atende a, no máximo, casais com filhos pequenos. 

Principais concorrentes 

Volkswagen Golf 

Ford Focus 

Chevrolet Astra 

Chevrolet Vectra GT 

Fiat Stilo 

Nissan Tiida 

Peugeot 307 

Citroën C4 

Histórico de versões 

2009/2009 – GZ63, GZ20 e GZ19 – Modelo de lançamento 
2009/2010 – GZ63, GZ20 e GZ19 – Linha 2010 
2010/2011 – GZ63, GZ20 e GZ19 – Linha 2011 

Novidades – todas as versões: 

  • Faróis com máscara negra. 
2011/2012 – GZ63, GZ20 e GZ19 – linha 2012