Logotipo Olho no Carro

A segunda geração do Hyundai HB20 estreou no segundo semestre de 2019, já como modelo 2020, a fim de se distanciar do modelo anterior. Tratado como um “profundo facelift” por uns e como “nova geração” por outros, esse modelo sofreu inúmeras mudanças. Neste artigo, vamos abordar as principais características do HB20 G2 e conferir a sua trajetória no nosso mercado. 

Está pensando em comprar um HB20 usado ou seminovo? Então consulte o histórico antes de negociar!

Consultar o histórico do veículo usado ou seminovo é tão importante quanto saber os detalhes de design, mecânica e tecnologia. Por meio dessa consulta, só pelo número da placa, você conseguirá validar os dados cadastrais, saber se o carro tem restrições, débitos, Recall, batida integral, histórico de roubo e furto e muito mais!

Design 

Esse é, sem dúvidas, o ponto mais polêmico do HB20 até hoje. Dono de linhas bem resolvidas, que o posicionavam como o hatch mais bonito da categoria, o HB20 G2 veio com um design que tenta se equilibrar entre “diferentão” e “moderno”, sem cair na esquisitice. O que não deu certo na opinião de muitos consumidores, que criticaram duramente o design renovado.  

Mesmo diante das críticas, é perceptível que a Hyundai buscou incorporar sua nova filosofia global de design ao compacto brasileiro, seguindo o conceito de identidade visual cada vez mais aplicado pelas montadoras de hoje em dia. 

Os faróis horizontais foram trocados por peças verticalizadas em forma de triângulo, mantendo a construção do modelo passado: refletor nas versões mais baratas e projetor nas mais caras. Eles perderam a conexão com a grade que, por sua vez, traz clara inspiração na dianteira do Sonata, com linhas mais pontiagudas nas laterais.  

Já o perfil do hatch fez o caminho inverso, ficando mais arredondado de um modo geral e com um detalhe estético em preto fosco na coluna C. A traseira trouxe novas lanternas estilo bumerangue e os “olhos de gato” horizontais foram reposicionados para baixo, junto de vincos bem pronunciados no novo para-choque. 

Mecânica 

O HB20 G2 é montado sobre a plataforma PB, assim como o modelo antigo, mas ela sofreu atualizações para receber as novas tecnologias disponíveis, além de novidades mecânicas em vários aspectos.  

A gama de motores manteve as opções de 1.0 e 1.6 aspirados Flex, mas ambos ganharam um novo sistema de injeção de combustível, que dispensa o tanquinho de partida a frio e, de quebra, garante 2 cv extras de potência de pico ao motor 1.6. Assim como antes, o 1.0 aspirado trabalha somente com uma caixa manual de cinco velocidades, enquanto o 1.6 pode ser aliado a uma transmissão manual ou automática, ambas com seis velocidades. 

A grande cereja do bolo da nova geração é reservada para as versões mais caras: o novo 1.0 turbinado Flex da família TGDi , que possui três cilindros em linha e gera até 120 cv e 17,5 kgfm de potência e torque máximos, respectivamente, independente do combustível. O TGDi apaga por completo o passado marcado pelo 1.0 turbinado da família Kappa: o novo motor anda muito melhor, consome menos combustível e deixou o HB20 mais esperto do que nunca, inclusive quando comparado ao 1.6.  

No mais, esse modelo manteve os freios a disco na dianteira com tambor na traseira e suspensão por eixo de torção na parte de trás. 

Interior 

Se o exterior do novo HB20 desagradou, o sentimento com relação à parte interior é completamente o oposto. No passado, o hatch trazia um ar de dinamismo e esportividade, com linhas arrojadas e agressivas na cabine, através de detalhes como molduras, frisos e saídas de ar-condicionado.  

O HB2O G2 deixou tudo isso de lado em prol de um ambiente mais sério, aconchegante e até com um certo ar de carro “premium”, através de soluções como a troca da iluminação interna do azul pelo branco e da nova central multimídia com tela do tipo flutuante. Lamentavelmente, a manutenção da plataforma indica que o compacto também manteve as limitadas medidas da cabine, o que faz com que falte espaço para levar quatro adultos. 

Os novos difusores de ar são horizontais e decorados por um detalhe que pode ser prateado ou preto brilhante, dependendo da versão. O volante veio com um layout de três raios, mais convencional, e ganhou novos comandos, para ficar mais completo e intuitivo.  

Outro ponto que chama atenção é o fato das portas traseiras repetirem o acabamento mais caprichado da dianteira, algo raríssimo no segmento. Em contrapartida, mesmo a versão mais cara não conta com um sistema de ar-condicionado mais sofisticado e sim com um sistema convencional que, assim como no finado Chevrolet Agile, traz um pequeno display para exibir as informações. Não é um ar-condicionado digital de fato e nem possui a função Auto característica desses sistemas. 

Tecnologia 

O HB20 G2 evoluiu consideravelmente na lista de equipamentos. Finalmente o coreano recebeu elementos como controles de tração e estabilidade, faróis com acendimento automático e revestimentos diferenciados no interior, de acordo com a versão. Além disso, esse modelo trouxe itens que vieram no facelift do modelo anterior, como os faróis com projetor bi halógeno de luz de posição (em LED), faróis de neblina por projetor halógeno, quatro airbags e multimídia com espelhamento para smartphones. 

A evolução nesse aspecto foi tanta que o HB20 ganhou até itens que, no seu lançamento, eram exclusivos dele como o alerta de mudança indevida de faixa e o sistema de frenagem autônoma de emergência, luxos que antes eram exclusivos de carros bem mais caros. Há também, dependendo da versão, um painel parcialmente digital. 

Mas, diante de tanta evolução, o novo HB20 também cometeu deslizes primários como não trazer luzes diurnas (DRL) em nenhuma versão, além de restringir boa parte das novidades tecnológicas às versões mais caras, enquanto as mais baratas trouxeram pouquíssimas novidades.

Saiba mais sobre o Hyundai HB20 neste vídeo:

Principais pontos fortes 

Mecânica

Independente do motor e do câmbio, o HB20 é um carro ótimo de dirigir, por combinar esperteza e economia. A retirada do tanque de partida a frio representa uma preocupação a menos para os donos e uma evolução a mais para os motores, além da chegada do novo 1.0 turbo ter colocado esse modelo em uma posição muito satisfatória. 

Aceitação no mercado

O HB20 sempre foi um carro ótimo para negócios e a nova geração manteve isso. Embora tenha começado devagar, o modelo ganhou força e tem se mantido muito bem nos índices de vendas mensais, mostrando que preservou os predicados de carro bom de comprar e melhor ainda de vender. 

Acabamento

Em um segmento onde a racionalidade é uma das palavras-chave, acabamento interno acaba não sendo uma prioridade dos fabricantes. A Hyundai parece não pensar assim e, apesar de não ter investido em materiais nobres, planejou uma cabine caprichada para o HB20 G2. Os plásticos usados são de boa textura e aparência, os comandos são justos e o ambiente, de um modo geral, passa uma impressão bem melhor que a dos rivais diretos. 

Principais pontos fracos 

Espaço interno

O HB20 sempre foi um carro apertado e a nova geração não mudou em nada esse fator. Esse carro atende, no máximo, a casais com filhos pequenos. 

Equipamentos

Se não optar pelas versões mais caras, você notará pouca diferença entre um HB20 novo e um antigo, pelo menos com relação à tecnologia embarcada. O modelo é um dos mais básicos do segmento e, mesmo as variantes mais completas, têm algumas faltas difíceis de entender. 

Visual

As mudanças externas foram grandes, mas, de forma geral, o HB20 G2 retrocedeu e faz parecer que o modelo antigo, de design mais harmonioso e arrojado, é mais novo do que ele. Tanto é que, pouco tempo após o lançamento, a Hyundai já promoveu mudanças mínimas para tentar amenizar as linhas polêmicas do compacto. 

Principais concorrentes 

Fiat Argo 

Volkswagen Polo 

Chevrolet Onix 

Renault Sandero 

Kia Rio 

Honda Fit 

Toyota Yaris 

Histórico de versões 

2019/2020 – Sense, Vision, Evolution, Diamond, Diamond Plus – Modelo de lançamento 
2020/2021 – Sense, Vision, Evolution, Sport, Diamond e Diamond Plus – Linha 2021 

Reposicionamentos: 

  • Acréscimo da versão Sport. 

Novidades – Sense, Vision e Evolution: 

  • Grade dianteira com contorto em preto brilhante.

Versões Vision e Evolution: 

  • Lanternas “Black Bezel”. 

Versão Evolution: 

  • Faróis com acendimento automático; 
  • Apoio de braço dianteiro.

Versão Diamond: 

  • Monitoramento de pressão dos pneus; 
  • Novos bancos em couro; 
  • Sistema de alerta de mudança indevida de faixa; 
  • Sistema de frenagem autônoma de emergência. 
2021/2022 – Sense, Vision e Evolution – linha 2022. As demais versões ainda serão apresentadas. 

Novidades – todas as versões 

  • Controles de tração e de estabilidade de série; 
  • Acréscimo de airbags laterais, totalizando quatro bolsas.

Versão Evolution 

  • Câmera de ré. 

Versão Evolution (com motor turbo) 

  • Sistema de alerta de mudança indevida de faixa; 
  • Sistema de frenagem autônoma de emergência.