Logotipo Olho no Carro

Saiba tudo sobre o Honda Civic G8 e veja o histórico de versões desse modelo. 

A oitava geração do Honda Civic estreou no Brasil no primeiro semestre de 2006 e não é exagero dizer que esse modelo impactou o mercado, tamanha a mudança de estilo que sofreu em comparação aos seus antecessores. Chamado até hoje de “New Civic” pelos fãs, ele é, para muitos, a melhor geração desse carro.  

Não arrisque na compra do seu New Civic usado!

Todos os carros usados e seminovos podem ter algum problema no histórico como batidas, passagem por leilão, histórico de roubo e furto, débitos, restrições e muito mais.

Quer descobrir se o carro tem algum desses problemas antes de comprar? Clique no botão abaixo e consulte pela placa:

Design 

O Civic sempre teve um forte apelo com o público mais jovem, mas isso está mais relacionado à mecânica e às possibilidades de customização/preparação do que ao design em si. 

Embora não fosse alvo de críticas negativas, o estilo do sedan também não chegava a “arrancar suspiros”, além de fazê-lo ser constantemente equiparado ao Corolla, seu arqui-inimigo. Para mudar isso, a Honda projetou um carro tão diferente, que até mesmo a diretoria da marca demorou para aprovar o projeto, com medo da desaprovação dos clientes. 

Os faróis horizontais ficaram mais estreitos do que nunca e deixaram o japonês com cara de “mau”, sendo conectados por um acabamento cromado, que ostenta o logo da Honda ao centro. 

O novo para-choque dianteiro é mais projetado para frente e traz uma única abertura ao centro, que abriga os faróis de neblina.  

De perfil, o Civic G8 ganhou mais vincos e uma linha que percorre toda a lateral, de uma ponta a outra, mantendo a leve curvatura da coluna C, que deixa o design mais aerodinâmico.  

Já na parte traseira, as lanternas continuam invadindo o porta-malas, mas ficaram mais finas e o desenho, no geral, ficou mais limpo. 

Mecânica 

O então Novo Civic era, de fato, inteiramente novo: conjunto mecânico, plataforma, tudo mudou!  

Para começar, o antigo motor 1.7 deu lugar a um 1.8 aspirado de quatro cilindros, que gera até 140 cv e 17,7 kgfm e foi lançado apenas a gasolina, mas não demorou para se tornar Flex. Esse motor utiliza corrente de comando, diferente do anterior, que utilizava correia dentada, e pode trabalhar com transmissão manual ou automática, ambas de cinco velocidades. A tração é dianteira em todos os casos. 

A nova plataforma deixou o Civic G8 ligeiramente maior do que o G7, crescendo em comprimento, largura e entre-eixos, mas perdendo poucos milímetros em altura total.  

O peso, entretanto, aumentou em 85 kg e o sedan sofreu uma redução considerável de porta-malas, caindo de 402 para 340 litros.  

A suspensão independente nas quatro rodas foi mantida e, graças às bitolas mais largas, o comportamento dinâmico do carro ficou bem melhor. E os freios são a disco nas quatro rodas.

Saiba mais sobre o Civic G8 neste vídeo:

Interior 

Por dentro, o Civic G8 mudou com o mesmo radicalismo observado no exterior. Além das novas tecnologias e dos itens que o modelo nunca teve no Brasil, o interior do “New Civic” ganhou sofisticação, com novos revestimentos, nova paleta de cores e um desenho inteiramente novo. Passando a sensação de ter subido de categoria.  

De todas as novidades, a que mais chamou atenção foi o painel de instrumentos. Ele foi dividido em dois andares, trazendo o velocímetro digital com marcadores de temperatura e combustível na parte de cima. Enquanto isso, outro mostrador, mais baixo e próximo do volante, atua como conta-giros e agrega as diversas luzes indicadoras dos sistemas e avisos do carro.  

O console central passou a ser orientado para o motorista e, dependendo da versão, abriga os controles do inédito ar-condicionado digital.  

Já o volante ganhou comandos de piloto automático e entretenimento, além de um sistema de trocas manual por aletas na parte traseira, que foi uma inovação para o segmento naquele tempo. 

Por fim, além dos novos brancos, a cabine veio com um acabamento em dois tons e iluminação mesclando azul e branco. 

Tecnologia 

A tecnologia era considerada um ponto fraco do Honda Civic, mas isso mudou na oitava geração e permanece até hoje.  

Mesmo não estando entre os mais equipados e tecnológicos da categoria, O Civic G8 se destaca diante dos concorrentes por duas características simples: não oferece pacotes opcionais e, desde a versão mais barata, traz uma lista satisfatória de equipamentos. 

Esse modelo foi lançado em duas versões e, a mais barata, traz itens como: 

  • Freios ABS; 
  • Airbags duplos frontais; 
  • Direção hidráulica; 
  • Ar-condicionado; 
  • Cintos de três pontos para todos os ocupantes; 
  • Banco traseiro bipartido; 
  • Rádio com CD Player; 
  • Trio elétrico (vidros, travas e retrovisores).  

Já a mais cara acrescenta: 

  • Disqueteira para 6 CDs; 
  • Faróis de neblina; 
  • Ar-condicionado digital; 
  • Volante multifuncional com paddle-shifters.  

Para ambas há uma chave especial para manobristas, que não permite o acesso ao porta-malas. 

Principais pontos fortes 

Dinâmica:  

O Civic G8 é o sedan certo para quem gosta de dirigir. Além da suspensão independente nas quatro rodas, o acerto mais duro do carro o deixa bastante afiado nas curvas e sob controle o tempo inteiro. 

Mercado:  

O “New Civic” é, para muitos, a melhor versão de todos os tempos. O modelo é bem cotado até hoje e objeto de desejo de muitos, o que faz dele um carro fácil de comercializar. 

Versão Si:  

Para quem gosta de esportividade, a Honda chegou a oferecer uma versão especialmente preparada, denominada Si, que foi um alento em meio a um mercado cada vez mais carente desse tipo de carro. 

Principais pontos fracos 

Porta-malas:  

O porta-malas do Civic G8 é pequeno a ponto de se nivelar com o de alguns hatches. É muito menor do que o dos seus rivais diretos e consegue ser bem menor até que o do Honda City, que é um sedan compacto. 

Suspensão:  

Embora seja ótima para quem gosta de dirigir, a suspensão mais dura do Civic sofre quando o asfalto não está 100%. Ela não filtra tanto as imperfeições do asfalto, o que torna a condução cansativa e desconfortável. 

Manutenção:  

O Civic G8 tem a fama de inquebrável, comum a todos os carros da Honda. Entretanto, caso o proprietário precise realizar alguma manutenção, não encontrará valores muito acessíveis de peças e mão de obra. 

Principais concorrentes 

Toyota Corolla 

Volkswagen Jetta 

Ford Focus Sedan 

Chevrolet Vectra 

Renault Mégane 

Citroën C4 Pallas 

Peugeot 307 Sedan 

Volkswagen Bora 

Histórico de versões 

2006/2006 – LX (somente PCD), LXS e EXS – Modelo de lançamento. 
2006/2007 – LX, LXS, EXS e Si – Linha 2007. 

Reposicionamentos: 

  • Acréscimo da versão Si. 

Novidades – versão LXS: 

  • Adoção do motor 1.8 Flex. 
2007/2008 – LXS, EXS e Si – Linha 2008. 
2008/2009 – LXS, EXS e Si – Linha 2009, primeiro facelift. 

Novidades – Todas as versões: 

  • Para-choques redesenhados; 
  • Novas rodas. 

Versão LXS: 

  • Piloto automático; 
  • Porta USB na dianteira; 
  • Novos revestimentos internos. 

Versão EXS: 

  • Controle de estabilidade. 

Versão Si: 

  • Airbags laterais; 
  • Novas rodas aro 17. 
2009/2010 – LXS, LXL, EXS e Si – Linha 2010. 

Reposicionamentos: 

  • Acréscimo da versão LXL. 

Novidades – todas as versões: 

  • Direção elétrica. 
2010/2011 – LXS, LXL, LXL SE, EXS e Si – Linha 2011, modelo final. 

Reposicionamentos: 

  • Acréscimo da edição especial LXL SE.