Logotipo Olho no Carro

Em 2016, a Fiat lançou o que pode ser considerado o primeiro produto da “nova fase” da montadora no Brasil. Estamos falando do Toro, uma inédita picape de porte intermediário, desenvolvida em território nacional. Esse modelo divide toda a sua arquitetura com outros carros como os Jeep Renegade e Compass e se tornou um sucesso de vendas graças ao extenso portfólio de versões e sua versatilidade. Neste artigo vamos abordar todos os pontos relacionados ao Fiat Toro e sua trajetória no mercado brasileiro. 

Não compre um Fiat Toro usado antes de consultar o histórico!

Os veículos usados já tem um histórico, por isso, podem ter sido batidos, roubados, leiloados, ter restrições, débitos, entre muitas outras situações que diminuem o seu valor de mercado e/ou dificultam a transferência.

Então, se você quer garantir uma compra segura, é melhor fazer a consulta completa da Olho no Carro para saber a situação do veículo pela placa!

Design 

O Toro tem pouca semelhança visual com outros carros da Fiat, além de ser o único modelo da atual gama da montadora a contar com a dianteira dividida em dois grupos de elementos:

Na parte superior, o emblema da marca é complementado por dois filetes que se dirigem às luzes de LED nas extremidades, que são luzes de posição, mas podem atuar como luz diurna, dependendo da versão. Na parte central, logo abaixo desses elementos, ficam os faróis principais e a grade central do radiador. É um estilo que remete aos carros da Citroën (recentemente incorporada ao grupo Stellantis) e agradou ao público, conferindo robustez e sofisticação à picape. 

Contando somente com cabine dupla, o Fiat Toro traz o típico perfil de picape: linha de cintura ascendente até a traseira, cabine de quina mais quadrada na parte de trás e uma caçamba curta.  

Por falar em traseira, é nela que se encontra outra novidade/exclusividade da picape italiana: a tampa de caçamba bipartida. Ao invés da tradicional tampa inteira com abertura vertical, duas tampas menores se abrem na horizontal e se encontram/dividem exatamente no meio, o que confere personalidade própria ao novato do mercado. 

Mecânica 

Montado sobre uma variante maior e mais equipada da plataforma Small Wide, o Fiat Toro conta com as mesmas opções de conjuntos mecânicos dos seus irmãos de plataforma. 

O Toro pode ser encontrado com o conhecido motor 1.8 “e.TorQ” aspirado Flex, (até 139 cv e 19,3 kgfm, quando abastecido com etanol), com o 2.0 “MultiJet” turbodiesel (até 170 cv e 35,7 kgfm) e, recentemente, com o novo motor 1.3 “GSE” turbo Flex (até 185 cv e 27,5 kgfm). Esse último motor, estreou no facelift que atualizou a picape para 2022.  

Para os motores Flex, a transmissão é automática, de seis velocidades, enquanto o turbodiesel trabalha com uma caixa de nove velocidades. Por um breve período, a picape também pode receber o 2.4 “Tigershark” aspirado Flex, de até 186cv e 24,9kgfm. Esse modelo oferecia a mesma caixa AT9 do turbodiesel, mas somente com tração dianteira. 

Outra diferença entre as motorizações é o sistema de tração: enquanto os propulsores Flex trabalham apenas com tração dianteira (4×2), o motor turbodiesel conta com sistema de tração integral seletiva (4WD), com opção de atuação automática sob demanda (AUTO), bloqueio de tração permanente nas quatro rodas (4WD LOCK) e tração reduzida para entregar mais força (4WD LOW). Por padrão, em todas as variantes, a suspensão é independente nas quatro rodas e os freios utilizam discos apenas na dianteira, com os traseiros funcionando por tambor. 

Saiba mais sobre o Fiat Toro neste vídeo:

Interior 

Desde o começo, o objetivo da Fiat com o Toro era passar a ideia de “um SUV com caçamba”. Por conta disso, o interior da picape foi concebido mesclando a robustez com um toque de requinte: os difusores de ar verticais são típicos de picape e envoltos por grossas molduras plásticas, que mudam de cor de acordo com a versão.  

Embora o modelo “pré-facelift” traga elementos bastante conhecidos, como os comandos de ar-condicionado, cluster de instrumentos e volante, o painel passa uma boa impressão e é silencioso, apesar de ser feito todo de plástico. Um ponto interessante é a presença de alças de apoio na parte interna das colunas A, feitas para ajudar as pessoas de estatura menor a entrar no veículo. 

Outro ponto de destaque está nos bancos, que possuem uma boa densidade, abas laterais bem pronunciadas e concepção geral pensada para agradar passageiros de todos os tipos. Inclusive, há um “truque” interessante na forma de um compartimento escondido debaixo do banco do passageiro dianteiro.  

O entre-eixos de 2,99m privilegia a cabine em detrimento da capacidade de carga, garantindo um espaço interno mais agradável do que na maioria das picapes de cabine dupla, embora os 820 litros de capacidade da caçamba não sejam necessariamente ruins. 

Tecnologia 

O Fiat Toro chegou ao mercado com um pacote satisfatório de itens de série, desde a versão de entrada. No ato do lançamento, a configuração Freedom 1.8 Flex, com câmbio automático, era a mais barata de todas e já trazia alguns itens de série interessantes: 

  • Ar-condicionado de duas zonas; 
  • Faróis de neblina; 
  • Rodas de liga leve aro 16; 
  • Rádio com conexão bluetooth; 
  • Controles de tração e estabilidade; 
  • Airbag duplo; 
  • Chave com travamento remoto das portas; 
  • Banco do motorista com ajuste de altura; 
  • Caçamba revestida, entre outros.  

Dentre os opcionais havia mais cinco bolsas de ar para colisão (o que totalizava 7 airbags) e até mesmo teto solar, item raro entre as picapes comercializadas no Brasil. 

O facelift, aplicado no ano de 2021, inaugurou a linha 2022 da picape, com muitas novidades nesse quesito. Dentre as principais destacamos os faróis Full LED para praticamente todas as versões, exceto para a Endurance(de entrada), que não recebeu o conjunto.

As centrais multimídia também são novas e, nas variantes mais caras, trazem uma tela vertical que lembra o equipamento presente nos modelos da RAM. No Toro, esse equipamento oferece espelhamento sem fio e a plataforma de serviços integrados “Connect Me”.  

Há também um novo painel de instrumentos totalmente digital e um pacote básico de itens semiautônomos de segurança como frenagem automática de emergência, farol alto automático e alerta de saída de faixa.

Principais pontos fortes 

Porte

O Toro não é um utilitário grande e isso é algo muito bom. Se antes os consumidores eram obrigados a levar uma picape supercompacta ou outra grande demais, o Toro veio para atender aos que buscavam o meio-termo. Deu muito certo e o mercado adorou a ideia, tanto que algumas montadoras já planejam concorrentes para o italiano. 

Versatilidade

Outra vantagem de não ser um gigante é a praticidade. O Toro pode ser conduzido sem preocupação pelos caóticos centros urbanos e não faz o dono sofrer na hora de procurar uma vaga. Além disso, o combo de espaço interno razoável e caçamba mediana, permite ao Toro ser o principal carro da família, pois atende tanto a um passeio de fim de semana quanto a um dia de trabalho mais pesado. 

Opção diesel

Quem queria ou sonhava com uma picape a diesel precisava gastar uma fortuna e levar um “brutamontes” para a casa. O Fiat Toro amenizou esse problema. Apesar de não ser barato, custa bem menos que as picapes médias com motor diesel e, de bônus, une as duas vantagens citadas anteriormente.

Como se não bastasse, esse conjunto mecânico entrega desempenho e economia de combustível exemplares, o que deixa essa picape muito prazerosa de dirigir. 

Principais pontos fracos 

Peso

Mesmo que não seja um veículo grande, o Fiat Toro é muito pesado. Isso afeta diretamente o desempenho e o consumo e são queixas recorrentes dos proprietários de modelos equipados com motores Flex. Já as versões a diesel, embora sejam mais pesadas, não sofrem do mesmo mal.  

O novo 1.3 turbinado resolveu a questão do desempenho, mas não a do consumo e isso é culpa direta do peso elevado da picape: o Fiat Toro pode passar dos 1.800kg, dependendo da versão.  

Cortes de custo

O Toro chegou ao mercado brasileiro bem equipado, mas isso foi mudando com o tempo, o que afetou negativamente o custo/benefício.

Além de vir somente com freios traseiros a tambor, em todas as versões, não é difícil encontrar variantes que custam mais do que 100 mil reais e são equipadas apenas com airbag duplo, além de não ter itens que são difíceis de justificar como, por exemplo, os faróis de neblina. Com exceção da Endurance, as versões do modelo “pós-facelift” melhoraram isso. 

Motores Flex

Antes do novo 1.3 turbinado, o Toro nunca ofereceu motores Flex adequados. O 1.8 e.TorQ é insuficiente para a picape e, além de não apresentar um bom desempenho, tem um consumo elevado de combustível, tanto na estrada quanto na cidade.  

O Tigershark ameniza a questão do desempenho, mas se mostra igualmente ineficiente no consumo de combustível. Para piorar, o fato desse motor ser importado dificulta/encarece as manutenções.  

O problema é que as variantes a diesel são muito mais caras, o que “força” o cliente a optar pelas configurações Flex e, consequentemente, não conseguir usufruir de todas as qualidades da picape. 

Principal concorrente: 

Renault Duster Oroch 

Histórico de versões 

2016/2016: Freedom 1.8 AT6, Opening Edition 1.8 AT6, Freedom 2.0TD 4×2 MT6, Freedom 2.0TD 4×4 MT6 e Volcano 2.0TD 4×4 AT9 – Modelo de lançamento 

2016/2017: Freedom 1.8 AT6, Freedom 2.4 AT9, BlackJack 2.4 AT9, Freedom 2.0TD 4×2 MT6, Freedom 2.0TD 4×4 MT6 e Volcano 2.0TD 4×4 AT9 – Linha 2017 

Reposicionamentos: 
  • Retirada da versão Opening Edition; 
  • Acréscimo do motor 2.4 Tigershark aspirado Flex; 
  • Nova versão Freedom com motor 2.4 Tigershark; 
  • Nova versão Blackjack com motor 2.4 Tigershark; 
  • Motor 2.4, com start-stop, sem tanque de partida a frio e modo Sport. 
  • 2017/2018: Freedom 1.8 AT6, Freedom 2.4 AT9, Blackjack 2.4 AT9, Freedom 2.0TD 4×2 MT6, Freedom 2.0TD 4×4 MT6, Freedom 2.0TD 4×4 AT9 e Volcano 2.0TD 4×4 AT9 – Linha 2018 
  • Acréscimo da versão Freedom 2.0TD, com câmbio automático de nove marchas; 
  • Versões 1.8 ganham start-stop, sem tanque de partida a frio e modo Sport. 
Novidades – todas as versões: 
  • Sistema de monitoramento de pressão dos pneus; 
  • Capota marítima; 
  • Indicador de marcha; 
  • Paddle-shifters para trocas manuais no volante; 
  • Segunda luz de ré. 
Versão Freedom 2.0TD 4×2 MT6: 
  • Retrovisores com ajustes elétricos; 
  • Brake light; 
  • Alarme e iluminação para a caçamba. 

2018/2019: Endurance 1.8 AT6, Freedom 1.8 AT6, Blackjack 2.4 AT9, Volcano 2.4 AT9, Freedom 2.0TD 4×4 AT9 e Volcano 2.0TD 4×4 AT9 – Linha 2019 

Reposicionamentos: 
  • Acréscimo da versão Endurance como nova opção de entrada, motor Flex e câmbio automático; 
  • Retirada de todas as variantes com câmbio manual; 
  • Retirada da versão Freedom com motor 2.4 Tigershark; 
  • Acréscimo da versão Volcano com motor 2.4 Tigershark. 
Versão Freedom 1.8 AT6 e 2.0 AT9: 
  • Rodas aro 16 (aro 17 com pneus de uso misto a diesel); 
  • Câmera de ré; 
  • Ar-condicionado dual zone; 
  • Multimídia Uconnect; 
  • Barras longitudinais de teto; 
  • Segunda porta USB e segunda tomada 12v; 
  • Apoio de braço dianteiro e traseiro; 
  • Maçanetas e retrovisores na cor da carroceria; 
  • Faróis de neblina;
  • Sensores traseiros de estacionamento; 
  • Retrovisores com ajustes elétricos; 
  • Protetor de cárter e assistente de descida em rampas – Exclusivos da 2.0TD. 

2019/2020: Endurance 1.8 MT5, Endurance 1.8 AT6, Endurance 2.0 4×4 AT9, Freedom 1.8 AT6, Volcano 2.4 AT9, Freedom 2.0TD 4×4 AT9, Volcano 2.0TD 4×4 AT9, Ranch 2.0TD 4×4 AT9, Ultra 2.0TD 4×4 AT9 – Linha 2020 

Reposicionamentos: 
  • Retirada da versão Blackjack; 
  • Acréscimo da versão Ranch; 
  • Acréscimo da versão Endurance, com motor Flex e câmbio manual ou com motor  
  • Turbo-diesel e câmbio automático; 
  • Acréscimo da versão Ultra. 
Novidades – todas as versões: 
  • Central multimídia Uconnect com tela de 7 polegadas. 

2020/2021: Endurance 1.8 MT5, Endurance 1.8 AT6, Endurance 2.0 4×4 AT9, Freedom 1.8 AT6, Freedom 2.0TD 4×4 AT9, Volcano 2.0TD 4×4 AT9, Ranch 2.0TD 4×4 AT9, Ultra 2.0TD 4×4 AT9 – Linha 2021 

Reposicionamentos: 
  • Retirada das versões com motor 2.4. 
Novidades – a partir da Freedom: 
  • Central multimídia com tela de 7 polegadas e espelhamento para smartphones Apple e Android sem fio (item opcional na Endurance). 
Versão Volcano: 
  • Bancos de couro. 
Versões Ranch e Ultra 
  • Sete airbags. 

2021/2022: Endurance 1.8 AT6, Endurance 1.3T AT6, Endurance 2.0 4×4 AT9, Freedom 1.3T AT6, Freedom 2.0TD 4×4 AT9, Volcano 1.3T AT6, Volcano 2.0TD 4×4 AT9, Ranch 2.0TD 4×4 AT9, Ultra 2.0TD 4×4 AT9 – Linha 2022, primeiro facelift. 

Reposicionamentos: 
  • Retirada da versão Endurance 1.8 com câmbio manual; 
  • Acréscimo do novo motor 1.3 turbo Flex; 
  • Acréscimo das versões Endurance, Freedom e Volcano com o novo motor 1.3 turbo Flex. 
Novidades – todas as versões: 
  • Luzes diurnas em LED; 
  • Seis airbags, 
  • Central multimídia com tela de 7 polegadas e espelhamento para smartphones Apple e Android, sem fio; 
  • Para-choques redesenhados; 
  • Interior reformulado; 
  • Painel de instrumentos 100% digital. 
A partir da versão Freedom: 
  • Faróis Full LED; 
  • Faróis de neblina em LED; 
  • Novo multimídia com tela de 8,4 polegadas. 
A partir da versão Volcano: 
  • Sistema Connect Me; 
  • Sete airbags; 
  • Carregador de smartphones por indução. 
A partir da versão Ranch: 
  • Pacote ADAS de sistemas semiautônomos de segurança (frenagem automática de emergência, farol alto automático e alerta de saída indevida de faixa) 
  • Multimídia com tela vertical de 10,1 polegadas.