Logotipo Olho no Carro

Conheça os principais detalhes do Fiat Palio G4 e os seus pontos fortes e fracos. 

O Palio G4 nada mais é do que a terceira “reestilização” do G1. Além de ser o último modelo antes da troca de geração, que aconteceu em 2011.

Essa quarta fase do compacto italiano teve início em 2007 e marcou a transição de um estilo mais ousado e marcante para um carro de linhas mais contidas e convencionais. 

Consulte o histórico do carro usado antes de comprar! 

Se você está pensando em comprar um Fiat Palio G4 usado, é melhor consultar o histórico antes de negociar! Assim você pode saber se ele já foi batido, roubado, se tem débitos, restrições ou qualquer outro problema que pode te dar aquela dor de cabeça após a compra.

Design 

Todas as fases da “primeira etapa” do Palio compartilham, de modo geral, os mesmos traços e o mesmo perfil. 

As diferenças estão nos detalhes como o design dos para-choques, o conjunto ótico, os elementos do interior, as rodas e o formato dos vidros.  

Essa semelhança entre os modelos é proposital: serve para identificar que todos são derivados diretos do primeiro Palio, lançado na segunda metade da década de 90. Além disso, tem o objetivo de reduzir os custos e o tempo de desenvolvimento das atualizações. 

O Palio G4 veio com um design bem mais simples e tradicional, quando comparado ao G3:

Os antigos faróis de duplo refletor foram trocados por peças de refletor único, com cantos de quinas vivas e sem ligação física com a grade central.  

Na lateral, o compacto ganhou para-lamas mais marcados, que passam a sensação de maior volume.

Já na traseira, as antigas lanternas verticais diminuíram e passaram a ser horizontais, com cantos mais arredondados, que simplificaram o conjunto com menos elementos óticos. 

Mecânica 

O Palio G4 é montado sobre a plataforma 178, mesmo código que servia de identificação para o projeto na época do pré-lançamento.  

Essa é uma base derivada da 176, utilizada por modelos europeus, e que só saiu de cena em 2011, quando o novo Palio passou a ser montado sobre a mesma plataforma do novo Uno.  

O Palio G4 pode ser encontrado com motores 1.0 e 1.4 da família Fire, além de um 1.8, da GM, mais conhecido como “Família I”. Todos eles possuem quatro cilindros e aspiração natural, além de poder trabalhar com etanol/gasolina e qualquer mistura entre eles.  

O 1.0 gera até 66 cv e 9,2 kgfm, enquanto o 1.4 é capaz de gerar até 81 cv e 12,4 kgfm. Já o 1.8 consegue 114 cv e 18,5 kgfm de picos de potência e torque, respectivamente, e é o único que pode receber transmissão automatizada mono embreagem, com cinco velocidades. Os outros só podem ser encontrados com transmissão manual de cinco marchas, que também é oferecida para o 1.8.  

No mais, esse modelo vem com freios traseiros a tambor e suspensão traseira por eixo de torção, como é de costume nos carros populares da época. 

Interior 

Se muitos encararam o exterior do Palio G4 (terceiro facelift) como um retrocesso, as opiniões são diferentes quanto ao interior.  

A cabine, até então conhecida pelo ar despojado, sem muitos porta-objetos ou comandos de diversas funções, mudou bastante e ganhou uma certa sofisticação. Isso foi feito para deixar o modelo mais competitivo diante dos rivais em constante atualização.  

Embora a disposição geral dos elementos não tenha mudado, a Fiat tratou de deixar o ambiente mais agradável, com novos detalhes tanto estéticos quanto funcionais. 

O painel de instrumentos ganhou sofisticação ao trazer conta-giros de série e quatro mostradores distribuídos simetricamente pela base do painel, além de um pequeno mostrador digital para o computador de bordo.  

Novos porta-objetos foram introduzidos, além do console central que cresceu e pode vir com acabamentos diferentes, dependendo da versão escolhida. 

Tecnologia 

Carros populares não são conhecidos por terem alta tecnologia embarcada ou uma farta lista de itens de série. Mas, dependendo da versão, o Palio G4 até consegue se sobressair, oferecendo itens raros e/ou únicos em seu segmento.  

Como itens de série esse modelo traz: 

  • Ar-condicionado; 
  • Direção hidráulica; 
  • Vidros elétricos na dianteira; 
  • Computador de bordo. 

Além de um minissistema de personalização de funções, que a Fiat chama de “My Car”. 

Das versões disponíveis, a mais cara é a 1.8R que, segundo a Fiat, tem uma proposta esportiva e presta uma homenagem a carros clássicos como o Uno, o 1.5R e o 1.6R.  

Por ser uma versão topo de linha, ela traz elementos únicos como a iluminação do painel de instrumentos em vermelho (ao invés do laranja das demais).

Já como opcionais, esse modelo traz alguns “luxos” para a categoria como banco do motorista com ajuste elétrico de altura, airbags frontais e laterais, rádio com CD Player e conexão Bluetooth, entre outros. 

Principais pontos fortes 

Mercado: 

Independente do ano/modelo, o Palio é um carro extremamente fácil de negociar. O compacto sempre vendeu bem e, além disso, tem uma vasta gama de versões e configurações distintas, que atendem os mais diversos gostos. 

Manutenção:  

O Pailo G4 tem uma mecânica simples e barata e é um carro fácil de manter e cuidar, o que faz dele uma boa compra para quem não pretende gastar uma fortuna com manutenção

Usabilidade:  

Embora não traga revoluções mecânicas e tecnológicas, o Palio é um ótimo companheiro para o dia a dia. A direção confortável aliada com a facilidade de manutenção, as dimensões reduzidas e os motores justos, fazem do compacto o querido de muitos motoristas que procuram um meio de transporte particular. 

Principais pontos fracos 

Desempenho: 

Com exceção dos 1.8, os Palio G4 equipados com motores 1.0 e 1.4, deixam a desejar em desempenho, principalmente se comparados a concorrentes 1.6, que podem ser encontrados na mesma faixa de ano/modelo e preço. 

Suspensão: 

Com exceção da versão 1.8R, o Palio traz um conjunto de suspensão muito macio, o que não transmite tanta segurança em trechos mais sinuosos e provoca rolagem acima do normal da carroceria. 

Tecnologia

Apesar de não ser um dos carros mais básicos, o Palio não traz absolutamente nenhum recurso tecnológico que não possa ser encontrado em concorrentes do mesmo ano/modelo e preço, que sejam mais equipados. Quem gosta de carros recheados deve evitar esse compacto. 

Saiba mais sobre o Fiat Palio neste vídeo: