Logotipo Olho no Carro

Saiba tudo sobre o Chevrolet Classic e conheça os principais pontos fortes e fracos desse modelo. 

O Chevrolet Classic é a versão atualizada e rebatizada do antigo Corsa Classic, um sedan compacto derivado da segunda geração global do Corsa (primeira geração no Brasil), conhecida popularmente como Corsa B. Devido ao seu sucesso de vendas, o pequeno três-volumes passou a ser tratado de uma maneira diferente do modelo hatchback, adquirindo um novo posicionamento. Com isso, passou a ter estratégias distintas a respeito de motorização, equipamentos a bordo e precificação.  

Não compre um Chevrolet Classic sem consultar o histórico!

Os veículos usados podem ser roubados, de leilão, batidos ou até mesmo ter problemas no documento como débitos e restrições. Por isso, a melhor forma de se proteger e garantir a melhor compra do seu carro usado é fazendo a consulta completa.

Design 

Por se tratar de uma atualização/reposicionamento e não de uma geração totalmente nova, o Classic manteve muito das linhas do Corsa Classic, o que também tem relação com o corte de custos. O pequeno três-volumes era o sedan mais barato do país e vendia muito bem, características que a Chevrolet buscou manter na atualização mais do que necessária para um modelo que já estava há quase 20 anos sem mudanças. 

Sendo assim, as alterações se concentraram nas extremidades. Na dianteira, os faróis arredondados deram lugar a peças muito parecidas com as do Corsa C, mantendo o refletor único de função dupla (farol baixo e alto), mas como um novo para-choque.  

Na traseira, as lanternas ficaram horizontais e passaram a invadir a tampa do porta-malas com elementos arredondados. Esses elementos visuais são inspirados no Chevrolet Sail, que é um modelo dedicado ao mercado chinês. 

Mecânica 

Apesar de ter sido lançado no primeiro semestre de 2010, o Chevrolet Classic atualizado manteve a mesma plataforma GM4200, que é utilizada em uma série de outros carros compactos da marca. Como era de se esperar, essa plataforma está presente na família do Corsa brasileiro desde 1994, ano de seu lançamento em nosso país. Novamente, o motivo da prolongação do uso da plataforma foi a redução de custos para mantê-lo como um dos carros mais baratos do mercado nacional. 

Esse mesmo motivo, além do novo posicionamento, explica o porquê da Chevrolet ter comercializado o Classic unicamente com motor 1.0 aspirado Flex, de quatro cilindros, da linha VHC-E, que é capaz de gerar até 78 cv e 9,7 kgfm. O “E” acrescido na conhecida sigla indica um motor com novo mapeamento de trabalho para emitir menos poluentes e gerar números um pouco melhores de potência e torque máximos. Assim como o motor, a única transmissão disponível é a tradicional manual de cinco velocidades. 

Saiba mais sobre o Chevrolet Classic neste vídeo:

Interior 

Embora as mudanças externas tenham sido poucas, em relação ao Corsa Classic, ainda foram mais expressivas do que as aplicadas na cabine do modelo atualizado. Basicamente, a marca alterou apenas os grafismos do painel de instrumentos e a estampa do tecido dos bancos para conferir um pouco de modernidade ao compacto. 

O interior manteve todas as linhas e detalhes presentes desde o começo da trajetória do Corsa B. O painel com saídas horizontais de ar faz um “T” com o console central que abriga comandos de ventilação e suporte para rádio tipo 1DIN, além de uma pequena gaveta para objetos. O volante possui três raios e os botões de vidros elétricos, quando disponíveis, se encontram na parte baixa das portas. 

Tecnologia 

Posicionado como carro de entrada, o Classic se enquadra na famosa expressão “pé-de-boi” utilizada pelo público para se referir a carros que não trazem nada além do básico. De série, ele vem com vidros manuais por manivela, desembaçador do vidro traseiro, preparação para som, ventilação (sem ar quente ou refrigerado) e retrovisores com ajuste manual, abrindo mão de todo e qualquer item mínimo de conforto. 

Mas, para deixar o carro um pouco melhor, a marca disponibilizava pacotes opcionais dedicados a acrescentar certos tipos de itens. O chamado kit Conforto, por exemplo, inclui alças de teto, acendedor de cigarro, direção hidráulica, vidros dianteiros e travas com acionamento elétrico, entre outros. Já o kit Estilo traz rodas de liga leve aro 14, faróis com máscara negra, lâmpadas super brancas e assim por diante. 

Principais pontos fortes 

Manutenção:  

Tanta simplicidade tem um ponto positivo: o custo de propriedade. O Chevrolet Classic é um carro extremamente barato de manter e, como se não bastasse, suas peças são fáceis de encontrar e comprar. É a escolha certa para quem não quer gastar uma fortuna cuidando do veículo de uso diário. 

Mercado: 

O Classic continuou vendendo tão bem quanto seus antepassados e, além disso, sempre foi um carro barato. É bom de comprar e fácil de vender quando for necessário. 

Dia a dia: 

A Chevrolet não teve problemas por manter a plataforma do Corsa por tantos anos. Isso porque ela é muito competente e, com ela, o próprio Corsa em si. Sendo um derivado direto dele, o Classic herdou todas as suas qualidades como a boa ergonomia, a direção agradável mesmo após horas seguidas de trânsito e a boa companhia para o uso intenso. 

Principais pontos fracos 

Desempenho:  

O “remapeamento” de fábrica que deu origem ao VHC-E até melhorou um pouco, mas não resolveu o problema da apatia do Chevrolet Classic. Esse não é um carro para quem tem o pé pesado e até mesmo operações simples (como usar o ar-condicionado) exigem que o motorista tenha paciência, além de pedir muito mais trocas de marchas para tentar extrair algum desempenho extra do pequeno 1.0 aspirado. 

Itens de série: 

O Classic é, sem rodeios, um carro básico de doer. Não é tão difícil encontrar modelos usados com algum dos pacotes de itens que a Chevrolet oferecia quando ele era novo e isso é bom, pois, sem eles, o Classic remete aos anos 80 e 90 em que os carros não tinham muito mais além do que bancos e volante. 

Desatualização:  

Por melhor que a plataforma seja, ainda se trata de um projeto dos anos 90, uma época em que coisas como vida a bordo e segurança não eram preocupações tão grandes quanto hoje. Além de deixar a desejar em segurança, o Classic também fica devendo em espaço interno e, com isso, dificilmente atenderá a quem precisa do carro para levar a família. 

Principais concorrentes 

Fiat Siena 

Volkswagen Voyage 

Ford Fiesta Sedan